“A gente só quer saber cadê ela”, diz irmão de mulher que sumiu há sete dias em Aparecida

Diarista Luiza Helena Pereira, de 38 anos, desapareceu depois de uma confraternização com parentes. Polícia investiga caso

Suspeito de matar namorada em Goiânia passou por 5 cidades, diz polícia
Suspeito de matar namorada passou por 5 cidades e se escondeu em área de mata, diz PC (Foto: Arquivo Pessoal)

Os familiares da Luiza Helena Pereira, de 38 anos, buscam notícias sobre a diarista, que está desaparecida há sete dias. Segundo eles, a última vez em que tiveram contato a mulher foi durante uma confraternização de parentes na sexta-feira passada (6), no bairro Jardim das Acácias, em Aparecida de Goiânia.

De acordo com o irmão, Magno Pereira, no dia seguinte a família estranhou que Luiza não tivesse enviado nenhuma mensagem para nenhum deles. Magno afirma que, por volta das 15h da tarde de sábado, o namorado, J.B.C.F., foi até a casa da mulher, que mora ao lado do pai idoso, e contou que Luiza teria ido até a Rua 44 com a irmã dele.

“Meu pai escutou o barulho do portão e perguntou para ele (namorado) onde estava a Luiza. Ele respondeu que ela tinha ido na 44 com a irmã dele. Aí ficamos esperando. No domingo, dia das mães, nós passamos o dia na casa do meu pai, fazemos isso desde que nossa mãe faleceu, e era para ela ter chegado, mas não chegou. Entramos em contato com a irmã dele que, supostamente, tinha ido na 44 com a Luiza, mas ela (irmã do namorado) negou”, conta o familiar.

Registro na delegacia

Na segunda-feira (9), os familiares foram até a delegacia de Aparecida de Goiânia e registraram o boletim de ocorrência. Eles alegam que a Polícia Civil não dá a devida atenção para o caso e afirmam que a família faz buscas particulares e repassam todas as informações que colhem para a polícia, mas não recebem retorno.

“A gente só quer saber cadê ela (Luiza), não vemos buscas de cães farejadores na chácara dele ou na casa dela, não sabemos qual foi o trajeto que ele fez com o carro dela na madrugada ou onde está o telefone dela. No WhatsApp, o visto por ultimo está marcando no sábado”, relata.

A patroa de Luiza relatou para a família que recebeu uma mensagem pelo contato de Luiza onde ela pediu uma transferência via PIX. Não se sabe ainda quem foi o autor.

Atenciosa com a família

Magno conta que Luiza tem três filhos do antigo relacionamento e é atenciosa com a família. “Nossa mãe faleceu em 2003, desde então é a Luiza quem cuida do meu pai. Ele sempre trabalhou, comprou o carro dela, o lote, conseguiu construir a casa, cuidou dos filhos de 11, 17 e 20 anos, é independente”.

“É uma mulher que está desaparecida e parece que tratam com muito descaso. Falam tanto que tanta coisa está acontecendo com as mulheres e já passou da hora de mudar isso. Se não, minha irmã vai ser só mais uma mulher a entrar para as estáticas”, completa Magno.

Posicionamento da Polícia Civil

O desaparecimento está sob a investigação da delegada Luiza Veneranda, que ao Mais Goiás informou que não irá comentar sobre o caso, mas afirmou que não há mandados de prisão em aberto.

Leia outras notícias no Mais Goiás

Localizado pela PRF, homem que sumiu em Aparecida (GO) diz que estava “visitando o mundo”

Bombeiros encontram corpo de homem desaparecido no Rio das Almas, em Ceres (GO)

Família busca por homem desaparecido em Alvorada da Norte há mais de um ano

*Jeice Oliveira compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Alexandre Bittencourt