Advogados assassinados em escritório são sepultados em Goiânia e Inhumas

Marcus Aprígio e Frank Alessandro foram mortos com tiros na nuca no escritório em que trabalhavam, na tarde de quarta-feira (28)

Os advogados Marcus Aprígio Chaves e Frank Alessandro Carvalho de Assis mortos em escritório de Goiânia foram sepultados nesta quinta-feira. (Foto ilustrativa do cemitério Santana: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

Os advogados Marcus Aprígio Chaves, de 41 anos, e Frank Alessandro Carvalho de Assis, de 47, foram sepultados em cemitérios de Goiânia e Inhumas, na manhã desta quinta-feira (29). Eles foram mortos com tiros na nuca no escritório em que trabalhavam, no Setor Aeroporto, na capital, na tarde de quarta-feira (28).

Marcus Aprígio foi sepultado no Cemitério Parque Jardim das Palmeiras, em Goiânia. O advogado é filho do desembargador Leobino Valente Chaves, ex-presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO). A cerimônia de despedida contou, inclusive, com a presença do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Já o sepultamento de Frank Alessandro, filho do delegado aposentado Francisco de Assis, ocorreu em um cemitério de Inhumas, na região Metropolitana da capital.

Uma força tarefa composta por cinco delegados e 30 policiais civis foi criada para investigar o crime. Apurações serão mantidas sob sigilo. Até o momento, sabe-se que dois homens entraram sem máscara no escritório dos advogados identificando-se como clientes. Um dos suspeitos teria pedido uma quantia em dinheiro para simular um assalto.

No entanto, apesar de Marcus dar R$ 2 mil em espécie, os autores ordenaram que os advogados ficassem de costas e efetuaram os disparos. Os dois morreram na hora.