Agrotóxicos em plantação de milho teriam provocado morte de arraias no Araguaia

Os defensivos teriam escorrido para o rio por conta da chuva na região no início da semana

Arraias mortas em Rio Araguaia teriam sido vítimas de agrotóxicos de plantação (Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal)
Arraias mortas em Rio Araguaia teriam sido vítimas de agrotóxicos de plantação (Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal)

As dezenas de arraias que foram encontradas mortas, na manhã da última terça-feira (6), na região de Bandeirantes, no Rio Araguaia, teriam sido vítimas de agrotóxicos utilizados em uma plantação de milho próxima ao manancial.

Segundo relatos do pescador Carocinho, que ajuda fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad) a transitarem pelo local, agentes encontraram uma plantação de milho nas imediações. No terreno, se depararam também com uma tartaruga morta e diversos agrotóxicos.

O veneno, segundo avaliação preliminar, teria escorrido da plantação para as águas do rio, em razão da chuva que atingiu a região no início da semana. Ao Mais Goiás, a Semad informou que ocorrência ainda está em andamento.

Relembre o caso

Um vídeo feito por Carocinho, que trabalha com turismo na região, revelou que dezenas de arraias amanheceram mortas entre os dias 5 e 6 deste mês. Nas imagens, o pescador relata que por contas dos animais mortos, o local estava com forte odor. Além disso, outros animais, como peixes e urubus também morreram por se alimentarem das carcaças.

Nas águas do rio era possível notar um aspecto oleoso, que segundo Carocinho, poderiam ser dos próprios animais mortos. Entretanto, a coloração da água estava diferente do habitual, segundo o pescador.

Biólogos e fiscais foram acionados pelo trabalhador para investigar a causa da morte dos bichos. “Somos nós, que estamos aqui todos os dias, que vemos as diferenças e corremos atrás de solucionar problemas que aparecem”, defendeu o Carocinho.