Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc

O documentário aborda a história da cidade, o processo de industrialização e a ocupação Alto da Boa Vista

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc (Foto: Artur Dias)

A cidade de Aparecida de Goiânia completa 100 anos de existência nesta quarta-feira (11) e é tema do Mais Goiás.doc desta semana. Escritores, moradores antigos da cidade, residentes na ocupação Alto da Boa Vista e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), Leopoldo Moreira Neto, contam a história do município e como é morar na segunda maior cidade do Estado de Goiás. Assista ao documentário completo no final da reportagem e se emocione com a trajetória até aqui.

História de Aparecida de Goiânia

Quem olha para o crescimento exponencial de Aparecida não imagina que a fundação da cidade aconteceu em razão de doações de terras de um grupo de fazendeiros da região para a Igreja Católica, no mês de maio de 1922, há 100 anos.

À época, o local doado pertencia ao antigo município de Pouso Alto (atual Piracanjuba). Em 1958, após 36 anos, o terirrótiro tornou-se distrito e passou a fazer parte de Grimpas (atual Hidrolândia).

Em 14 de novembro de 1963, o Distrito de Aparecida de Goiás emancipou-se de Hidrolândia e passou a ser chamado de Aparecida de Goiânia – como é conhecida até hoje.

Moradores

Ana Coelho da Luz, de 89 anos, é uma das moradoras mais antigas da cidade. Ela conta que nasceu e foi criada em Cristalina e foi para Aparecida em busca de melhor qualidade de vida para os filhos. A idosa revela que a cidade evoluiu muito, pois, no começo, tinha apenas ‘mato’. Ela relata que, à época, animais silvestres, como tatus, andavam no seu quintal.

“O começo era mato. A gente tinha até medo, era muito mato. Nossa vida foi evoluindo devagar”.

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc (Foto: Artur Dias | Arte: Niame Loiola)

Ana relembra que certa vez comentou com o marido, já falecido, que a cidade tinha poucas pessoas. Na ocasião, o homem rebateu dizendo que a companheira iria ver muita coisa acontecer no município. Hoje, a idosa diz que tem visto e presenciado coisas que nunca imaginou que aconteceria na cidade.

A aposentada afirma também que Aparecida foi um lugar muito bom para ela e que não troca a cidade por nada.

Ocupação Alto da Boa Vista

Desde julho de 2018, aproximadamento 700 famílias vivem na ocupação Alto da Boa Vista, localizada dentro da Vila Delfiore, em Aparecida de Goiânia. Ao todo, mais de duas mil pessoas vivem no local.

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc (Foto: Artur Dias)

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc (Foto: Artur Dias)

Adriana Ferreira da Silva é auxiliar de limpeza e moradora da ocupação. Ela revela que, apesar da evolução da cidade, a comunidade enfrenta várias dificuldades na área da Educação, Saúde e energia elétrica. A moradora conta que para a comunidade ter acesso à energia, por exemplo, é preciso fazer o chamado “gato” nas instalações elétricas.

A mulher revela ainda que, em 2022, metade da comunidade foi diagnosticada com dengue, mas afirma que o maior problema do local é o processo judicial da reivindicação da posse das terras. Adriana conta que os moradores lutam para que a situação seja revertida e as 700 famílias não sejam despejadas de suas casas.

Mesmo diante das dificuldades enfrentadas, a morada, que é natural de Teresina (Piauí) e já morou em Fortaleza (Ceará), disse que não tem vontade de mudar da cidade e espera que todos os problemas da ocupação sejam sanados. “Hoje sou muito apaixonada por Aparecida e espero que o município me permita viver aqui por muito tempo”.

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc

Aniversário de 100 anos de Aparecida é tema do Mais Goiás.doc (Foto: Arquivo Pessoal | Arte: Niame Loiola)

O Mais Goiás entrou em contato com a Prefeitura de Aparecida de Goiânia para apurar sobre a situação da ocupação e aguarda o retorno.

Industrialização de Aparecida de Goiânia

Leopoldo Moreira Neto, empresário e presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), conta que o município foi, por muito tempo, considerado como uma cidade dormitório, pois os moradores ‘trabalhavam em Goiânia e dormiam em Aparecida’, já que no local não havia emprego para a população. A situação, porém, mudou com a criação dos polos industriais.

O presidente da associação revela que, no momento, Aparecida tem cinco polos industriais, que geram 100 mil empregos; quatro polos em implantação e 68 mil CNPJs ativos. Para ele, são os polos industriais que dão sustentação para o município.

Leopoldo ressalta ainda que a cidade é um ótimo local para empresários investirem. “Aparecida saiu de uma cidade problemática e hoje é a solução do Estado de Goiás”, diz.

Assista ao Mais Goiás.doc completo: