Aplicativo para agendamento de consultas na rede municipal de saúde é lançado em Goiânia

Durante esta fase de testes, o aplicativo disponibilizará, ainda, a opção de buscar por medicamentos distribuídos na rede e a disponibilidade dos produtos

Aplicativo está disponível para Android e iOS (Foto: Divulgação / Prefeitura de Goiânia)
Aplicativo está disponível para Android e iOS (Foto: Divulgação / Prefeitura de Goiânia)

A Prefeitura de Goiânia lançou, nesta quarta-feira (11), um aplicativo de celular com o qual será possível, segundo o Paço, agilizar o serviço de saúde pública na rede municipal da capital. O Saúde Fácil Goiânia visa aumentar o aproveitamento de vagas, já que o usuário vai receber notificações sobre o dia da consulta e, caso não possa comparecer, vai poder cancelar com antecedência, no próprio aplicativo. A plataforma é gratuita e já está disponível para Android e iOS. 

Nesta primeira etapa, dois serviços básicos estão disponíveis aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS): o agendamento de consulta da Atenção Básica para as especialidades de clínico geral, ginecologia, pediatria e odontologia; e a pesquisa dos medicamentos distribuídos na rede pública municipal.

Para usar os serviços basta baixar o Saúde Fácil no celular, criar uma conta com CPF ou número do cartão SUS e preencher os campos solicitados para agendar as consultas. O usuário poderá, ainda, escolher entre as unidades que possuem agendamento liberado, além da data, hora e o médico ou odontólogo disponíveis.

Os usuários que quiserem buscar por medicamentos distribuídos na rede também poderão fazer uso do aplicativo. Para isso, basta inserir o nome da medicação de que precisa e o dispositivo localiza a unidade mais próxima onde há estoque do produto. O GPS ainda indica a rota que o usuário pode seguir para chegar até a unidade.

Segundo o autor do projeto que culminou com a criação da novidade, o vereador Andrey Azeredo (MDB), a expectativa é que, após a fase de testes, a opção sobre o quantitativo de vacinas no estoque seja integrada ao aplicativo e, ao longo do ano, ofereça o restante dos serviços: informação sobre escala de profissionais por unidade; especialidade de cada profissional disponível; e quantidade de vacinas e locais disponíveis. 

Azeredo explica que a ideia para criação do projeto surgiu durante um surto de H1N1 vivido por Goiânia em 2016. Na época, como explica o parlamentar, várias pessoas iam atrás de vacinas e ficavam muito tempo nas filas aguardando o atendimento.

“Assim que fomos eleitos, decidimos criar o projeto. O uso da inovação da tecnologia nas gestões públicas é cada vez mais importante, pois reduz o custos, oferece qualidade e otimiza a prestação de serviço. Foi a forma que encontramos para prestar um serviço de qualidade ao público, respeitando-o e fazendo com que não seja mais necessário peregrinar entre as unidades de saúde à procura de atendimento”, declara Azeredo.

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira