Após 16 meses fechado e com R$ 90 mil em dívidas, Cine Ritz reabre com tarifa popular

Estabelecimento teve que recorrer a vaquinhas online para não precisar fechar as portas definitivamente. Decreto exige lotação máxima de 50% da capacidade

Cine Ritz vai manter valores de entrada estabelecidos antes da pandemia (Foto: divulgação)
Cine Ritz vai manter valores de entrada estabelecidos antes da pandemia (Foto: divulgação)

O novo decreto de Goiânia dá um alento ao comércio do segmento cultural da capital. É nesse contexto que um dos cinemas mais antigos da cidade reabre nesta quinta-feira (15) com esperança de reverter os 16 meses que permaneceu fechado em razão das restrições adotadas pelo poder público na contenção da Pandemia. Mesmo diante das adversidades e de uma dívida de R$ 90 mil, o Cine Lume Ritz manterá os valores adotados antes da crise sanitária: R$ 10 a meia entrada e R$ 20, a inteira. As promoções também continuarão. “Esperamos quitar [as dívidas] durante esse próximo ano com calma e esforço”, pontuou Frederico Machado, dono do cinema.

Aberto desde 1991 na região central de Goiânia, o cinema procurou medidas para se manter durante a pandemia, como vaquinhas online. “Não deu nem para pagar 10% dos débitos que tínhamos, mas, de qualquer maneira, ajudou um pouco. IPTU, aluguel do espaço, luz pois tivemos que manter o projetor da sala funcionando, limpeza, impostos….”, relatou o proprietário.

Com o novo decreto de Goiânia, ficam autorizadas as voltas de alguns segmentos de entretenimento, como circos, teatros e cinemas com 50% da ocupação liberada.

A reabertura, segundo Machado, seguirá as medidas de segurança determinadas. “O Cine Ritz tem sempre esse cuidado enorme com o público. Por ser uma sala bem grande, se torna uma das mais seguras quanto a pandemia”, destaca Frederico, que diz esperar entreter o público “nesses dias de tristeza que vivemos”.

Decreto

Quando anunciou as mudanças publicadas nesta quinta, o prefeito Rogério Cruz fez um apelo aos empresários e população para que a flexibilização seja mantida. “Pedimos atenção especial aos cinemas por terem sala fechada, o que dá maior possibilidade de contaminação. Por isso, é preciso ter atenção especial aos aparelhos de ar-condicionado”, disse durante a reunião do Comitê de Enfrentamento da Covid-19 de Goiânia.

O novo decreto autoriza ainda a realização de eventos em geral com capacidade de até 250 pessoas, além de permitir que bares e restaurantes fiquem abertos até às 3h da manhã com mesas com até oito pessoas.

Rede nacional

Embora haja possibilidade de retomada em Goiânia, a rede Cinemark, a maior de Goiânia e do Brasil, comunicou que ainda não há data para a retomada das atividades na capital. “Assim que tivermos novidades, comunicaremos a imprensa”, concluiu.

“Um grupo de infectologistas visitou salas da Rede para acompanhar todo o percurso que será feito por clientes e funcionários, orientando e desenhando em conjunto os protocolos”, detalhou a rede, que fechou parceria com o Hospital Israelita Albert Einsten, em São Paulo, para garantir o cumprimento das medidas sanitárias contra a Covid-19.