Após dois anos, INTS deixa de gerir o Hugo no dia 31 de dezembro

Segundo o instituto, uma comissão de desmobilização atua na unidade a partir de 6 de dezembro

Terceira em quatro anos, nova OS assume gestão do Hugo neste sábado (1º)
Atualmente, a OS que passa a gerir o Hugo também atua na gestão da Policlínica de Posse, Policlínica de Quirinópolis e Policlínica de Goianésia (Foto: Reprodução)

O Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) informou, por nota, nesta sexta (4) que não realizará mais a gestão do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), a partir de 1 de janeiro de 2022.

“Após tratativas diversas, vai encerrar, em comum acordo com a SES [secretaria de Saúde de Goiás], o contrato de gestão do Hugo, no próximo dia 31/12”, diz trecho da nota.

Transição no Hugo começa no dia 6 de dezembro

Segundo o instituto, uma comissão de desmobilização atua na unidade a partir de 6 de dezembro. O INTS gere o Hugo desde o fim de 2019.

A nota não explica os motivos do fim da administração.

De acordo com o secretário de saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, na próxima semana deve ser divulgada a nova OS que irá substituir o INTS na gestão do Hugo.