Após estudos, Aparecida já consegue identificar variantes de covid na cidade

Prefeitura já realizou 279.589 testes RT-PCR para detecção da Covid-19, o que corresponde a 45% da população

Testagem em Aparecida (Foto: Claudivino Antunes/SecomAparecida)
Testagem em Aparecida (Foto: Claudivino Antunes/SecomAparecida)

Iniciado no final de abril deste ano, o Programa de Sequenciamento Genômico da prefeitura de Aparecida de Goiânia já executou 656 sequenciamentos genéticos a partir de amostras dos exames RT-PCR realizados na cidade. Graças a esse estudo, a Secretaria Municipal de Saúde agora está apta a identificar as variantes que circulam no município – inclusive a indiana, de acordo com a pasta.

Por enquanto, ainda não há suspeita de presença da cepa oriunda da Índia no município.

Aparecida já realizou 279.589 testes RT-PCR para detecção da Covid-19, o que corresponde a 45% da população, que chega a 590.146 habitantes, segundo o IBGE.

Nesse sentido, para possibilitar o sequenciamento genômico, o secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães, esclarece que todas as amostras de material coletadas para a realização dos RT-PCR’s que têm resultado positivo para a covid-19 são armazenadas e formam um banco de dados, monitorado pelo município.

“Este é um excelente banco de dados que, se bem aproveitado e estudado, tem o potencial de nos ajudar a entender melhor a dinâmica de evolução e dispersão do vírus. Por isso investimos na contratação de parceiros que dispusessem de tecnologia e equipe treinada para a realização do sequenciamento”, aponta o secretário de Saúde.

Novas variantes

Segundo os dados da pasta, nas amostras analisadas em 2021, 76,6% foram das linhagens P.1 e 2,5% da B.1.1.7., originária no Reino Unido. Além disso, por exemplo, de 22 pacientes analisados com menos de 60 anos e sem comorbidades que desenvolveram formas graves e precisaram de internação em UTI, 19 foram infectados por essas duas variantes, que juntas foram responsáveis pela contaminação de 86,3% dos pacientes desse grupo estudado.