Após Facebook e Instagram, YouTube derruba live de Bolsonaro com mentira sobre vacina e Aids

O canal ficará suspenso por uma semana, o que impede a publicação de novos vídeos e transmissões

PF intima Bolsonaro Presidente usou o conteúdo do inquérito para atacar a segurança das urnas eletrônicas. PF intima Bolsonaro ataque hacker no TSE Após Facebook e Instagram, YouTube derruba live de Bolsonaro com mentira sobre vacina e Aids
Presidente Jair Bolsonaro (PL) (Foto: Reprodução Youtube)

O YouTube derrubou na noite desta segunda-feira (25), a live em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulga mentira sobre uma suposta relação entre vacina contra a Covid-19 e a transmissão de Aids. O canal ficará suspenso por uma semana, o que impede a publicação de novos vídeos e transmissões ao vivo. As informações são do G1.

O Facebook e o Instagram já haviam retirado do ar o mesmo conteúdo, divulgado na última quinta-feira (21). Já o Twitter sinalizou o post de Bolsonaro contendo a mesma mentira, mas manteve link no ar.

Publicação do presidente diretrizes de desinformação médica sobre a Covid-19

Segundo comunicou o YouTube, a publicação foi removida por violar suas diretrizes de desinformação médica sobre a Covid-19, ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas.

A plataforma já havia enviado um alerta a Bolsonaro em julho, que não resultou em suspensão direta do canal. De acordo com as diretrizes da plataforma, o primeiro aviso impede um canal de realizar ações como enviar vídeos e fazer transmissões ao vivo durante uma semana

Veja a íntegra do comunicado do YouTube

“Removemos um vídeo do canal de Jair Bolsonaro por violar as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a COVID-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas.

As nossas diretrizes estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou qual a sua opinião política”.