Após morte de detento, mulheres fazem manifestação na porta da cadeia pública em Anápolis

Familiares protestaram com cartazes, balões e gritos de "queremos justiça"; Luiz Paulo Santos foi assassinado no sábado (20) durante o banho de sol na unidade prisional. 

Mulheres utilizaram cartazes para pedir
Mulheres utilizaram cartazes para pedir "justiça" sobre os ocorridos dentro da Unidade Prisional de Anápolis. (Foto: Jonathan Cavalcante/Mais Goiás)

Com cartazes, balões, camisetas brancas, orações e gritos de “queremos justiça” familiares de detentos realizaram uma manifestação na porta da Cadeia Pública de Anápolis. As mulheres protestaram na tarde desta segunda-feira (22) após a morte de um preso no último sábado (20).

Luiz Paulo Santos, que cumpria pena por tráfico de drogas, foi morto por outro custodiado durante o banho de sol. O fato foi confirmado pela Diretoria-Geral de Administração Penitenciária.

“Bateram na cabeça e cortaram o pescoço do meu filho. Ele era lutador de Jiu-Jitsu e se fosse apenas uma briga ele teria conseguido se defender, o detalhe é que não tem mais nenhum preso ferido. Quero saber como e o motivo do Luiz Paulo ter sido assassinado”, afirma a senhora Omélia Lina dos Santos, mãe da vítima, em entrevista ao Mais Anápolis.

O que diz a advogada da família ?

Segundo a advogada Camila Crisóstomo, a defesa da vítima soube do ocorrido após a ligação de familiares. Ela afirma que visitou a cadeia na quinta-feira (18) e alertou a administração sobre os perigos da mudança de detentos das alas “A e B” para a ala “C” da unidade prisional.

“Quando questionei sobre a troca dos detentos para outras alas eles [coordenação do local] disseram que sabiam do que estavam fazendo. Estamos aqui ao lado dos familiares e iremos solicitar à justiça para que os presos retornem para suas respectivas alas”, relata a advogada Camila Crisóstomo.

DGAP se posicionou sobre o homicídio

De acordo com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), foram tomadas as devidas providências em relação a morte de um dos custodiados da Unidade Prisional Regional de Anápolis. A direção afirma que durante a apuração do fato um detento alegou ser o responsável pelo crime.

“As autoridades policiais competentes foram comunicadas sobre o fato, além da abertura de Procedimentos Administrativos Internos para aplicação da sanção disciplinar ao detento responsável pelo homicídio, conforme determina a lei”, diz o comunicado enviado ao Mais Goiás.