Após novo aumento no preço da gasolina, Procon volta aos postos de Goiânia

Petrobras elevou preço do litro do combustível de R$ 2,69 para R$ 2,78 nas refinarias

Procon Goiás fiscaliza preços abusivos em postos de combustíveis durante toda a semana
Procon Goiás fiscaliza preços abusivos em postos de combustíveis durante toda a semana - Foto: divulgação Procon Goiás

O Procon Goiás realiza a partir desta segunda-feira (16), até a sexta-feira (20), uma operação de fiscalização nos postos de combustíveis de Goiânia para apurar os preços abusivos referente ao repasse de um novo reajuste, o nono neste ano, no preço do litro da gasolina comum para o consumidor.

Na última semana, a Petrobras decidiu elevar o preço do litro do combustível de R$ 2,69 para R$ 2,78 nas refinarias. “Estaremos visitando os postos e solicitando algumas documentações para elaborar um cálculo e identificar se o reajuste que foi repassado aos consumidores esta de acordo com o que permitido pela legislação, especialmente, quanto a justificativa desse aumento”,  disse o superintendente do Procon Goiás, Alex Vaz ao Mais Goiás.

Segundo o superintendente é previsto que a operação se estenda para os demais municípios da Região Metropolitana.

“A priori nós iniciamos em Goiânia, mas devemos estender também a outros municípios da Região Metropolitana. A intenção é visitar o maior número de postos possíveis. Ainda não temos um balanço, mas acredito que de cinco a 10 postos foram visitados nesta segunda”, explica.

Goiânia é a segunda capital que comercializa o combustível mais caro

O índice acumulado no ano já chega a 51%. Levantamento realizado pela Agência Nacional de Petróleo mostrou que a capital é a segunda no ranking nacional que comercializa o combustível mais caro para o consumidor. Nas bombas, o litro do combusível é encontrado a R$ 6,79.

Segundo o superintendente do Procon Goiás, Alex Vaz, o trabalho in loco será intensificado nos postos de combustíveis para verificar um eventual abuso na margem de lucro praticada por esses estabelecimentos. “Caso seja constatada alguma irregularidade, o responsável será punido”, afirma.

Após análise da documentação solicitada, notas fiscais de compra e venda dos combustíveis, os postos que praticarem lucro abusivo serão multados. O valor das multas pode chegar a R$ 10,2 milhões.

Veja como denunciar preços abusivos

O superintendente informa que os consumidores podem fazer denúncia, seja de suspeita de aumento abusivo ou problemas com a qualidade do combustível entre outros, pelo telefone 151 (Goiânia), (62) 3201-7124 (interior) ou ainda pela internet, por meio do Procon Web (proconweb.ssp.go.gov.br).