Após quadro se agravar, João de Deus é transferido para hospital do DF

Ele estava internado em um hospital particular de Anápolis, mas precisou ser transferido após sentir fortes dores e fadiga

João de Deus será encaminhado ao núcleo de custódia de Aparecida
João de Deus (Foto: Arquivo/Reprodução/TV Anhanguera)

No final da noite da última sexta-feira (23) João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, precisou ser encaminhado para o Hospital Sírio Libanês, em Brasília, após ter uma piora no quadro de saúde. Anteriormente, ele estava internado no Ânima Centro Hospitalar, em Anápolis, mas foi transferido após sentir fortes dores no peito e fadiga.

O advogado Anderson Van Gualberto disse que o cliente sofre de problemas cardíacos crônicos. Ele afirma que o quadro de João de Deus estava instável e a transferência foi necessária para tentar estabilizar. “Caso seja necessário qualquer procedimento, inclusive cirúrgico, está ali”, explicou.

Gualberto diz que, até o momento, não há previsão de alta médica para o cliente. Um boletim divulgado pelo Hospital Sírio Libanês esclarece que João de Deus é um paciente “cardiológico e oncológico”. A unidade de saúde afirma ainda que ele não está com Covid-19 e tem “um quadro estável que requer internação”.

Caso João de Deus

João de Deus foi preso no dia 16 de dezembro de 2018 após diversas denúncias de crimes sexuais. De lá para cá, ele teve habeas corpus negados, uma fazenda invadida por integrantes do Movimento Sem Terra (MST) e Movimento Camponês Popular (MCP), abandono de advogados do caso e três condenações: uma de quatro anos, em regime aberto, no caso de posse ilegal de armas de fogo, outra de  19 anos de prisão por crimes sexuais – sendo a primeira por esse tipo de crime e a última em 40 anos, também por crimes sexuais contra cinco vítimas.

Ambas as decisões são da juíza Rosângela Rodrigues. João de Deus sempre negou os crimes. Mesmo preso, o médium continuava a lucrar com a rede internacional que atrai diversos turistas à Casa Dom Inácio de Loyola, segundo uma reportagem da IstoÉ. A revista Veja também mostrou que João de Deus continua fazendo ‘milagres’ dentro da cadeia.

Em janeiro deste ano, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) ofereceu a 12ª denúncia contra o médium e, junto com ele, outros dois guias também foram inclusos no documento. De acordo com o órgão, eles tinham conhecimento do crime cometido pelo médium e não fizeram nada para impedi-lo com o propósito de ganhar mais prestígio dentro da Casa.

Nesse período encarcerado, o médium acabou visitando hospitais em três ocasiões. Em uma delas, foram mais de 70 dias internados para cuidar de um aneurisma da aorta abdominal e, posteriormente, de uma pneumonia. A mais recentes delas foi no último dia 11 de março.

O médium foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Flamboyant e, logo depois, transferido para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Ele foi submetido a exames e liberado no mesmo dia.

Caso João de Deus é tema da nova série documental do Globoplay