FolhaPress

Araçatuba (SP) amanhece sem aulas para varredura à procura de bombas

Três pessoas morreram e quatro foram internadas devido à ação de quadrilha; PF também investigará o caso

Bombas em Araçatuba
Araçatuba (SP) amanhece sem aulas para varredura à procura de bombas (Foto: reprodução - Joven Pan)

Pelo segundo dia, Araçatuba (a 521 km de São Paulo) não terá aulas nesta terça-feira (31) após criminosos fortemente armados terem invadido a região central da cidade para explodir e roubar duas agências bancárias. Três pessoas morreram na ação e quatro estão internadas.

A decisão de suspender as aulas nas redes municipal e estadual foi tomada, de acordo com a prefeitura, para que as forças de segurança façam nova varredura no centro e em outros locais da cidade à procura de bombas. Já a subsecretaria de Articulação Regional da Secretaria de Estado da Educação informou que, devido aos ataques, além da rede pública as aulas e atividades também estão suspensas na rede privada da cidade paulista.

“O objetivo é que as forças policiais façam uma nova varredura no centro e em outros locais da cidade para garantir mais segurança no retorno às aulas. Pedimos a compreensão dos alunos, pais, professores e diretores, em nome da segurança de todos”, diz trecho de comunicado do governo Dilador Borges (PSDB).

A quadrilha que atacou os bancos no início da madrugada desta segunda-feira (30) em Araçatuba deixou explosivos espalhados em 20 pontos da cidade.

Parte dos explosivos estava em um caminhão abandonado em frente a um dos bancos atacados, de acordo com a polícia.

Toda a ação, de acordo com a Polícia Militar, foi monitorada por drones, desde a chegada ao perímetro urbano até a fuga pelo bairro rural Engenheiro Taveira.