Bebê morre afogada após assaltantes renderem mãe dentro de casa, no Equador

Assaltantes se passaram por agentes de segurança pública para invadir a casa

Angélica Maria com o marido e a filha que morreu durante o assalto
Bebê morre afogada após assaltantes renderem mãe dentro de casa, no Equador (Foto: reprodução - redes sociais)

Uma bebê, de apenas 9 meses, morreu afogada após assaltantes deixarem ela sozinha próxima à piscina e render a mãe da menor dentro de casa. O caso aconteceu em Manabí, no Equador, no último sábado (20/11).

De acordo com o jornal The Sun, Angélica Maria dava banho na bebê em uma piscina inflável, quando os criminosos chegarem na residência disfarçados de agentes sanitários. Para invadir a residência, eles se passaram como integrantes de programa de vacinação antirrábica.

Após a mãe revelar que não tinha animais na casa, eles forçaram entrada no local e retiraram a criança dos braços da mãe.

Neste momento, os assaltantes deixaram a bebê sozinha próximo à piscina e levaram a mãe para o interior da residência

Mesmo com dinheiro, assaltantes amarraram mãe e deixaram bebê sozinha

Angélica entregou em torno de 1 mil dólares para os assaltantes – cerca de R$ 5,6 mil pela atual cotação. Mesmo sendo um alto valor, os criminosos não ficaram satisfeitos e amarraram a mulher para procurar mais objetos de valor. Em seguida, eles fugiram.

A mulher começou a pedir socorro e os gritos foram ouvidos pela outra filha, de 12 anos, que brincava na casa de um vizinho. Ao chegar em casa, a criança já encontrou a irmã mais nova boiando na piscina.

Após ser desamarrada, a mãe tentou reanimar o bebê, mas não teve sucesso. A menina morreu no local.

A polícia ainda procura os assaltantes.

Segurança do país andino é ponto crítico

De acordo com o site Infobae, a segurança no país é um ponto de grande problema. Dados extraídos da Procuradoria-Geral da República do Equador apontam que, até setembro de 2021, foram registrados mais de 18,2 mil roubos – um aumento de 27% em comparação ao ano anterior.

As estatísticas indicam que, em média, ocorrem 66 furtos por dia no país. Os roubos a domicílios aumentaram 14% em relação a 2020. Até setembro, mais de 5,9 mil casos foram registrados. A província de Manabí é a terceira mais afetada nessa modalidade em todo o país.

*Com informações da Revista Crescer