Coluna da Tainá Borela

Saída de Baldy do governo de São Paulo foi motivada pelo apoio de Marconi a Dória

Baldy afirmou à imprensa que seu pedido de demissão foi para focar, a partir de agora, na sua candidatura ao Senado nas eleições de 2022

Saída de Baldy do governo de São Paulo foi motivada pelo apoio de Marconi a Dória (Foto: Reprodução)
Saída de Baldy do governo de São Paulo foi motivada pelo apoio de Marconi a Dória (Foto: Reprodução)

O presidente do PP de Goiás, Alexandre Baldy, deixou, nesta segunda-feira (19), o cargo de secretário de Transportes Metropolitanos do governo de São Paulo. Como justificativa, Baldy afirmou à imprensa que seu pedido de demissão foi para focar, a partir de agora, na sua candidatura ao Senado nas eleições de 2022. Mas a coluna do jornalista Guilherme Amado, do portal Metrópoles, revelou que a saída de Baldy do governo paulista foi motivada pela rixa do pepista com o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), aliado de primeira hora de Doria. Segundo o portal, com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, crescendo nas prévias do PSDB, marcadas para novembro, o apoio declarado de Marconi a Doria é essencial para reverter a tendência de o tucanato goiano caminhar com Leite. Porém, Marconi se negou a tratar do assunto enquanto Baldy estivesse no governo paulista. Doria também vinha sendo cobrado por aliados sobre a manutenção de Baldy, adversário do PSDB de Goiás, em sua gestão. A situação fugiu do controle quando o pepista indicou, na semana passada, o nome do seu irmão, Joel Sant´Anna Braga Filho, para assumir a Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) no governo de Ronaldo Caiado (DEM), sinalizando assim apoio ao projeto de reeleição do democrata.

Tensão

A coluna apurou que o almoço de Marconi com Baldy, organizado por Doria, para que acertassem os ponteiros, no final de setembro, foi cheio de duras palavras entre os goianos. Marconi disse ao governador de São Paulo, durante o encontro, que Baldy apoiaria Caiado na primeira ligação que o democrata fizesse ao pepista.

Impasse

Integrantes do PSDB goiano, como o ex-deputado federal Giuseppe Vecci e o ex-governador José Eliton, já declararam que são favoráveis a Eduardo Leite.

Gelo

O presidente do MDB e pré-candidato a vice de Caiado, Daniel Vilela, se encontrou hoje pela primeira vez, após o anúncio de seu nome na chapa caiadista, com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (Sem partido), durante o lançamento da Pedro fundamental do Polo Aeronáutico Antares. A ideia começou na gestão de Maguito Vilela em Aparecida.

Clima

Gustavo e o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), ficaram juntos durante o evento. Daniel se sentou em uma mesa separado dos dois.

Incorporou

Daniel tem ido a quase todas as agendas do governador Ronaldo Caiado. O emedebista já vestiu o papel de vice do democrata.