Kossa Aqui

Estão criando uma arapuca para os governadores

Estimular rebeliões nos quartéis das polícias militares é tática arruaceira que precisa ser punida

Morre policial baleado que 'surtou' no Farol da Barra, em Salvador (BA)

Não deveríamos estar falando dessas coisas no momento em que vivemos. A pandemia de covid-19 ceifa milhares de vidas a cada 24 horas e, se ainda fôssemos um país funcional, estaríamos totalmente focados em mitigar esses números nefastos. Mas o Brasil não é mesmo para amadores. No meio do colapso do sistema de saúde, alto estresse das rede funerária e falência iminente de diversos comércios que não tiveram nenhuma ajuda governamental para atravessar esse período de vacas magérrimas, precisamos falar de gente sem escrúpulos que estimula o desrespeito à hierarquia dentro de quartéis. É o fim da picada.

A politização da farda brasileira tem que ser contida enquanto ainda é possível. É inaceitável que agentes políticos choquem o ovo da serpente sem sofrer nenhuma punição. Estimulam o golpismo, incentivam a insubordinação, fragilizam a democracia, batem bumbo pra maluco dançar. Não dá.

Ou a sociedade brasileira traça uma linha no chão e deixa claro que isso precisa ter fim, ou esse bando à la Daniel Silveira não vai parar.

Vide o drama baiano do último domingo. Um policial em evidente surto psiquiátrico disparou contra colegas de farda. O desfecho da ação foi trágico. E, como tal, deveria ser lamentado. Mas a súcia das milícias digitais não entendeu dessa forma. Começaram a mitificar algo que deveria ser lamentado.

A carta assinada por 16 governadores, Ronaldo Caiado incluso (e que vergonha sinto dos nove que optaram pela covardia em momento tão agudo de nossa história), é uma resposta a esse comportamento criminoso de lideranças irresponsáveis. Os governadores exigem paz institucional para combater a pandemia. Esse é o primeiro recado. Se os estímulos golpistas seguirem adiante, a mão pesada do Estado tem que se fazer presente.

Punição para os eleitos que sonham com a balbúrdia nos quartéis, exoneração e cana para os fardados que se deixarem seduzir pelo sibilar das víboras boquirrotas das redes sociais.

Ou a gente acaba com essas saúvas, ou elas acabarão com o Brasil.

@pablokossa/Mais Goiás