Telemania

‘Aquaman 2’: Chefe da DC diz que Amber Heard quase foi despedida por falta de química com Momoa

Walter Hamada testemunhou durante o processo de difamação de Johnny Depp contra Heard

(Foto: Warner Bros.)

Amber Heard quase foi expulsa da sequência de Aquaman.

Mas, de acordo com o chefe da DC Films, Walter Hamada, seu trabalho não estava em perigo por causa das acusações de Depp, e o estúdio não reduziu seu papel na sequência por causa disso.

Hamada testemunhou no processo de difamação de $50 milhões de dólares de Johnny Depp na terça-feira (24), e revelou que a Warner Bros. considerou por várias semanas reescalar Heard como Mera na sequênia, “Aquaman e o Reino Perdido”. Hamada disse que a preocupação do estúdio era com a falta de química entre Heard e Jason Momoa no primeiro longa.

“Eles não tinham muita química juntos”, disse Hamada. “A realidade é que não é incomum em filmes que dois co-protagonistas não tenham química e é meio que se resolve com a magia do cinema e edição – a capacidade de colocar performances com a magia de uma ótima trilha e como você junta as peças, você pode fabricar essa química. No final do dia, quando você assiste ao filme, parece que eles têm uma ótima química. Mas eu só sei que ao longo da pós-produção, foi preciso muito esforço para chegar lá. Às vezes você apenas junta os personagens na tela e eles funcionam. É como o que faz de uma estrela de cinema uma estrela de cinema. Você conhece só de olhar. A química não estava lá. … Este foi mais difícil por causa da falta de química entre os dois.”

A equipe de Heard afirmou que sua luta para permanecer na sequência da Warner Bros resultou da publicidade negativa devido às alegações de abuso de Depp contra ela.

“Tive que lutar muito para manter minha carreira”, disse Heard em 17 de maio. “Depois que consegui minha ordem de restrição temporária, perdi oportunidades. Fui cancelada de empregos. Fui dispensada de uma campanha que havia filmado. Lutei para manter meu emprego na maior oportunidade cinematográfica que tive até hoje – Liga da Justiça, com a opção [de] Aquaman.”

A atriz acrescentou que ela “lutou muito para permanecer na sequência”, mas que “eles não queriam me incluir no filme” e apenas gravou uma “versão muito reduzida” de sua parte.

“Recebi um roteiro e, em seguida, novas versões do roteiro que tiraram cenas que tinham ação, que mostravam meu personagem e outro personagem – sem dar spoilers – dois personagens lutando um com o outro”, disse Heard. “Eles basicamente tiraram muito do meu papel. Eles apenas removeram um monte.”

Hamada testemunhou na terça-feira que “Aquaman 2” nunca foi feito para ser um filme romântico como o primeiro filme.

Questionado diretamente se o papel de Heard já foi “reduzido”, Hamada disse que não. A sequência, disse ele, foi concebida “desde os estágios iniciais de desenvolvimento” como uma “comédia policial de amigos” entre Aquaman e seu meio-irmão, Rei Orm (Patrick Wilson).

“Aquaman e o Reino Perdido” tem estreia prevista para 17 de março de 2023.