FolhaPress

Bolsonaro ataca Flávio Dino e diz que chefes comunistas costumam ser gordos

A declaração foi feita pelo presidente a apoiadores, nesta terça-feira (11), durante a sua chegada ao Palácio da Alvorada, em Brasília

Flávio Dino, governador do Maranhão, recebe diagnóstico de Covid
Foto: Reprodução - TV Mirante

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou exemplos de “chefes comunistas gordinhos” para atacar a forma física do governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB-MA). A declaração foi feita pelo presidente a apoiadores, nesta terça-feira (11), durante a sua chegada ao Palácio da Alvorada, em Brasília.

“A senhora [uma apoiadora, que estava no local] é do estado do Partido Comunista do Brasil. Você já reparou que os países comunistas, geralmente o chefe é gordo? (Risos) Coréia do Norte? Venezuela? São gordinhos, né? Maranhão? (Risos)”, disse Bolsonaro.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do governo do Maranhão e aguarda o retorno.

Dino, que, em junho, migrou do PCdoB para o PSB, está em seu segundo mandato como governador do estado e é considerado um dos principais opositores ao governo de Jair Bolsonaro, com voz atuante, principalmente no período de enfrentamento à pandemia de Covid-19.

Desde o início da crise sanitária, Bolsonaro tem atacado governadores e prefeitos, dizendo que as medidas de combate à pandemia prejudicaram a economia.

O presidente também tenta se eximir de culpa distorcendo uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que julgou concorrente a competência de todos entes na questão sanitária. Bolsonaro mente ao dizer que o Supremo tirou seu poder de agir na pandemia.