Bolsonaro deve receber título de cidadão goiano

A proposta foi aprovada na CJJ com apenas dois votos contrários dos deputados estaduais mas ainda deve ser votada no Plenário

O presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) deve receber o título de cidadão goiano, concedido pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). A proposta foi aprovadana tarde desta quinta-feira (4), na Comissão de Constituição e Justiça (CJJ) mas ainda deve ser votada em Plenário. Apenas dois deputados estaduais foram contrários: Vinícius Cirqueira (PROS) e Lêda Borges (PSDB).. Nas eleições de 2018, em Goiás o presidente recebeu 65,52% dos votos.

Contrários

Lêda Borges (PSDB) disse que defende os direitos humanos e sociais e que não pode votar favorável a um presidente que vai a Israel e cria um problema diplomático. E a tucana completou: “Um presidente que contingencia R$ 5 bilhões e 400 milhões na Educação. Nem que 100% dos goianos tivessem votado nele. Eu não posso. Meu voto é contrário”.

Ao votar contrário, Sirqueira disse uma única frase: “Que o Hamas nos perdoe”. Essa foi uma referência à postagem no twitter, feita pelo senador filho do presidente, Flávio Bolsonaro (PSL), em que ele dizia “Quero que vocês se EXPLODAM!!!”. O comentário foi feito ao compartilhar uma reportagem do site da revista Exame sobre um pedido do Hamas para que o governo brasileiro se retrate. O grupo condenou a viagem do presidente do Brasil a Israel.

Favoráveis

Álvaro Guimarães  (DEM) disse que Goiás precisa do atual presidente para superar a crise em que se encontra. “Fica muito ruim, lá em Brasília, o presidente receber a notícia de que a Assembleia Legislativa de Goiás derrubou um título que seria motivo de muita alegria ele” . E mais: que o título seria uma motivação para que ele ajude Goiás. E citou que outras pessoas, que nem mesmo mereceriam, receberam honrarias da Casa.

O deputado Major Araújo (PRP) disse que não vê motivos para polemizar a questão, já que outras pessoas, como o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), receberam títulos da Alego pelo simples fato de terem sido eleitas.

“Já tivemos tantas pessoas, com imagem tão ruim, recebendo título na Casa. Porque não conceder o título a nosso presidente? Podem dizer o que quiserem dele, mas difícil mente vão encontrar alguma mancha de sua trajetória pública enquanto parlamentar e oficial do exército, da ativa e da reserva”, disse o perrepista.

Do Solidariedade, o deputado Amilton Filho ressaltou que Bolsonaro tem causado insegurança, até mesmo em eleitores dele. Mas ressaltou a quantidade de votos recebida por ele em Goiás “É um momento de dar um voto de confiança a ele”, disse.

Autoria e parecer

O Projeto de Lei (PL) com a proposta é de autoria do deputado Humberto Teófilo, correligionário de Bolsonaro. Segundo ele, “é uma forma de homenagear o Presidente pelos relevantes serviços prestados a Goiás, ao Brasil e à Democracia”.

Sirqueira foi relator do projeto e ao dar parecer contrário, afirmou que não havia, no documento, uma relação de serviços prestados pelo homenageado ao estado de Goiás. O parlamentar aponta que Bolsonaro não possui as “virtudes ilibadas” necessárias para ser homenageado. Além de ter “assumida apologia de práticas criminosas e a defesa de práticas e valores contrários ao Estado Democrático de Direito”. E ressalta que o presidente defende a tortura, um crime hediondo.

 

Matéria atualizada às 15h22min do dia 04/04 e novamente às 18h do dia 05/04