Estadao Conteúdo

Bolsonaro diz que evitará falar com imprensa após ataques relatados pela Fenaj

Relatório da entidade mostra que 208 ataques a veículos de comunicação e jornalistas foram registrados no ano passado, sendo que o presidente foi responsável por 121

Após falar em pacto, Bolsonaro volta a criticar governadores e medidas de isolamento
Bolsonaro já chamou coronavírus de "gripezinha" e "resfriadinho" e depois disse que "o país enfrenta um grande inimigo" (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (22) que vai evitar falar com a imprensa após levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) indicar que ele foi responsável por 58% dos ataques à categoria no ano passado. O relatório da entidade, divulgado na quinta-feira passada, mostra que 208 ataques a veículos de comunicação e jornalistas foram registrados no ano passado. Desses, Bolsonaro foi responsável por 121.

Ao falar com jornalistas que o aguardavam na entrada do Palácio da Alvorada, na manhã desta quarta, Bolsonaro fez referência a um suposto processo contra ele da “Associação Nacional de Jornalistas”. O Palácio do Planalto não soube informar, até o momento, de qual processo se trata.

“Eu quero falar com vocês, mas a Associação Nacional de Jornalistas diz que, quando eu falo, eu agrido vocês. Como eu sou uma pessoa da paz, não vou dar entrevista. Não posso agredir vocês aí. Manda tirar o processo que eu volto a conversar”, disse Bolsonaro.