Bolsonaro é aguardado no Ministério da Economia para reunião com Paulo Guedes nesta tarde

Ministro está pressionado por mudanças no teto de gastos

Combustível deve subir mais, sinaliza Bolsonaro.
Combustível deve subir mais, sinaliza Bolsonaro. "Só ver o dólar" (Foto: Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro é esperado na sede do Ministério da Economia na tarde desta sexta-feira para se reunir com o ministro Paulo Guedes. O encontro ocorre em meio a dúvidas sobre a permanência do ministro no posto de chefe da equipe econômica, devido à crise fiscal e a debandada de quatro secretários do ministério na noite de quinta-feira.

A reunião está marcada para 14h30. As agendas das autoridades não previam o encontro. Segundo membros do governo, Bolsonaro irá ao ministério expressar apoio ao ministro, que permanece no governo mesmo pressionado pelas mudanças no teto de gastos.

Segundo fontes palacianas, Guedes não pediu demissão e a dia de Bolsonaro ao prédio é uma tentativa de fortalecê-lo.

Integrantes da comitiva de Bolsonaro estão no prédio do Ministério da Economia, preparando a reunião.

Depois da saída de quatro secretários do Ministério da Economia no começo da noite desta quinta-feira, Bolsonaro disse que o ministro continuaria no governo, mas as dúvidas permaneceram ao longo desta sexta-feira.

Mudanças no Ministério da Economia

Além da discordância em relação à revisão do teto de gastos, o receio de se tornarem alvo de investigações de órgãos como o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público também motivou a nova debandada da equipe de Paulo Guedes, que fragilizou o ministro.

Bruno Funchal, que pediu demissão nesta quinta-feira do cargo de Secretário do Tesouro e Orçamento, era um dos que mais resistiam à ideia da revisão do teto.

Além dele, também pediram afastamento o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, e os secretários adjuntos de Funchal e de Bittencourt, respectivamente Gildenora Dantas e Rafael Araújo.