Bolsonaro fechou Hospital de Campanha de Águas Lindas, mas pressiona governadores

Folha de São Paulo deu destaque à informação de que Goiás tem oito hospitais de campanha abertos

Hospital de Campanha de Luziânia (Foto: Reprodução)

Eduardo Bolsonaro (PSL) comemorou pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para que governadores expliquem fechamentos de hospitais de campanha nos estados. No entanto, em Goiás, oito hospitais de campanha continuam abertos. O único fechado é o de Águas Lindas que foi instalado pelo governo Bolsonaro e foi fechado pelo Ministério da Saúde no dia 22 outubro de 2020. O local contava com 200 leitos específicos para tratamento da Covid-19. A informação foi destaque na coluna Painel da Folha de São Paulo.

Em Goiás, os oito hospitais são de alvenaria, com 1.221 leitos. A promessa do governo estadual é de que após o fim da pandemia as estruturas continuarão sendo utilizadas. O hospital de campanha de Águas Lindas, no Entorno do Distrito Federal, fechado pelo governo federal, era de tenda e carecia d e aluguel e manutenção bancados pela União.

No ofício, a PGR cobra que estados informem número de hospitais criados, desativados e destinação a insumos e equipamentos que faziam parte da estrutura.

Mesmo com o fechamento do hospital de Águas Lindas, o governo estadual manteve duas unidades do tipo no Entorno: um em Formosa e outro em Luziânia, ambos de alvenaria.

Após o fechamento de leitos de Águas Lindas pelo governo federal, o governo estadual informa que utilizou equipamentos para abertura de novos leitos em outras unidades do estado.

Os bolsonaristas, puxados por Eduardo Bolsonaro, alegam que houve desvio de dinheiro por parte de quem fechou os hospitais de campanha. “Será possível que governador usou a pandemia para roubar o povo?”, indagou.