FolhaPress

Bombeiros resgatam crianças presas a seis metros de altura, em parque de São Paulo

Tapete Mágico, plataforma que sobe e desce, teve uma pane na Cidade da Criança, em São Bernardo; ninguém ficou ferido

Crianças ficam presas em parque de diversões de São Paulo
Crianças ficam presas em parque de diversões de São Paulo (Foto: Divulgação - Parque das Crianças)

Cerca de 10 crianças de 10 a 13 anos ficaram presas em um brinquedo, a seis metros de altura, no parque Cidade da Criança, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, na manhã desta quinta-feira (23). Elas tiveram de ser resgatadas pelos bombeiros. O problema ocorreu no brinquedo Tapete Mágico, ou Tapis Volant, plataforma que sobe e desce em movimentos circulares. Ninguém ficou ferido.

De acordo com os bombeiros, a corporação foi chamada pouco depois das 11h e quatro viaturas foram enviadas para o local. Segundo a prefeitura, a falha técnica no brinquedo provocou o travamento do equipamento.

“Por causa da altura, o Corpo de Bombeiros foi acionado para remover cerca de 10 crianças que ficaram presas. Ninguém ficou ferido”, afirmou a prefeitura, em nota.

A empresa Nova Cidade Parques São Bernardo do Campo, que administra a Cidade da Criança, acionou os bombeiros e a Polícia Militar, segundo a prefeitura.

De acordo com a administração municipal, o equipamento que apresentou problemas será interditado para manutenção. Os demais brinquedos estavam funcionando.

A concessionária disse que no momento do problema, o brinquedo entrou em modo operacional, que fez o travamento.

“A adoção do modo segurança, com o travamento da atração, obedece aos preceitos técnicos e normativos”, afirmou a empresa.

Segundo ela, o brinquedo tem capacidade para receber até 40 pessoas. “Todas as atrações [35] da Cidade da Criança têm manutenção e são submetidas a testes de segurança diários.”

Em julho de 2019, uma mulher de 40 anos morreu depois de cair de uma montanha-russa em miniatura, na Cidade da Criança. A doméstica Ilma Pereira de Souza teria passado mal, quando andava no brinquedo Brocumela junto com sua filha, na época com 6 anos.

Com mais de 50 anos de história, a Cidade da Criança sofreu ameaça de fechamento em 2020, quando a então gestora do parque chegou a dizer que iria encerrar as atividades do local, mas depois recuou.

Durante a pandemia de Covid-19, o parque chegou ficar seis meses sem funcionar e voltou a abrir em outubro de 2020.