FolhaPress

Brasileira presa na Tailândia por tráfico de drogas é condenada

Presa em fevereiro, Mary Hellen Silva foi sentenciada a nove anos e seis meses de prisão

Brasileira presa na Tailândia por tráfico de drogas é condenada
Brasileira presa na Tailândia por tráfico de drogas é condenada (Foto: Reprodução - Redes sociais)

A brasileira Mary Hellen Coelho Silva, de 22 anos, presa por tráfico internacional de drogas na Tailândia em fevereiro deste ano, foi condenada a nove anos e seis meses de prisão em julgamento realizado no país asiático no último dia 8. A defesa espera que a brasileira obtenha perdão real.

Mary Hellen é de Pouso Alegre, região sul de Minas Gerais, a cerca de 400 km de Belo Horizonte. A mulher foi presa juntamente com outros dois brasileiros em 14 de fevereiro ao desembarcarem no aeroporto de Bancoc com 15,5 quilos de cocaína.

Mary Helen trabalhava em uma churrascaria e pediu demissão pouco antes de viajar. À família disse que iria a Curitiba encontrar um namorado. Eles dizem que só souberam que Mary Hellen estava na Tailândia quando receberam uma mensagem com pedido de ajuda.

Distante do pai, que vive no Rio, e com a mãe se tratando de câncer em estágio avançado, planejava abrir uma empresa de bolos com a irmã e retomar os estudos, segundo parentes.

A jovem foi condenada por crimes civis e penais conforme a legislação local. Segundo a advogada de Mary Hellen, a criminalista Kaelly Cavoli Moreira, foram aplicados dois anos por porte de drogas, considerado crime civil, e sete anos e seis meses por tráfico internacional, de natureza penal.

Mary Hellen teve assistência de um defensor público no julgamento na Tailândia. A advogada da brasileira afirmou que a pena ficou dentro do previsto.

A legislação tailandesa é conhecida pelo rigor na punição a condenados por tráfico. Existe a possibilidade de pena de morte para este tipo de crime no país, dependendo do tipo de droga.

Ainda segundo a advogada, pelo tamanho da punição, existe a possibilidade de o rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn, conceda perdão à brasileira. Embora ele seja oficialmente o chefe de Estado, na prática o país vive sob uma ditadura militar liderada pelo general Prayut Chan-o-cha.

O indulto é concedido anualmente no dia do aniversário do rei, em 28 de julho, a condenados com penas que, ao menos no país, podem ser consideradas mais brandas.

A advogada disse ainda não ser possível afirmar se será possível trazer a cliente para que cumpra a pena no Brasil, caso Mary Hellen não receba o benefício.

“Estamos esperando ter acesso à sentença”, afirmou a criminalista. As informações sobre o caso da brasileira condenada no país asiático estão sendo enviadas à defesa pelo corpo diplomático do Brasil em Bancoc.

O último contato de Mary Hellen com parentes ocorreu em 23 de abril, depois da morte da mãe da brasileira.

Outros dois brasileiros foram presos no dia 14 de fevereiro na Tailândia juntamente com Mary Hellen —Jordi Vilsinski Beffa, 24, de Apucarana (PR), e Ricardo de Almeida da Rosa.

Procurado, o Itamaraty ainda não informou sobre o julgamento dos outros dois brasileiros na Tailândia.

No dia 5, uma mulher foi presa em Curitiba, suspeita de aliciar os três brasileiros. Segundo a polícia, ela aparecia em filmagens ao lado de dois paranaenses que embarcaram no aeroporto Afonso Pena, em fevereiro, com destino ao país da Ásia.