Câmara de Goiânia adiou homenagem a Marília Mendonça por causa da covid-19

Vereadores devem entregar título de cidadania goianiense à família da cantora

Câmara de Goiânia aprovou título de cidadão a Marília, mas não entregou
Câmara de Goiânia aprovou título de cidadão a Marília, mas não entregou (Foto: Reprodução)

A cantora Marília Mendonça, que morreu na última sexta-feira (5) em um acidente aéreo no interior de Minas Gerais, não teve tempo de receber o título de cidadã goianiense que a Câmara de Vereadores da capital pretendia entregá-la. O título foi proposto pelo ex-vereador Paulinho Graus (PDT) e aprovado pelos seus pares em julho de 2020. A solenidade foi adiada por causa da pandemia da covid-19. Embora não tenha havido um ato público, a Câmara imprimiu um diploma com o nome da rainha da sofrência em dezembro de 2020.

Segundo o presidente da Câmara, vereador Romário Policarpo (Patriota), o título deve ser entregue à família da cantora. Policarpo explica que existe a possibilidade da Câmara fazer uma homenagem, mas que os vereadores ainda precisam discutir a viabilidade do gesto. Marília nasceu em Cristianópolis em 1995.

Policarpo afirma que que o sentimento de perda hoje é comum a todo o povo goiano e que a catarse coletiva é semelhante àquela que sucedeu a morte do cantor Cristiano Araújo. “Em Goiânia, o sertanejo não é só o ídolo, é aquele colega que você encontra nos sinaleiros, nos bares. Então, o sentimento é de perder alguém próximo”, lamenta.

“Nunca vamos saber o potencial dela. A proporção que tomaria. Ela tinha 26 anos, já era a rainha do sertanejo, mas ainda não tinha chegado no auge. Então, vem um sentimento de frustração”, completa.

Autor do projeto que homenageia Marília Mendonça

Autor do projeto, Paulinho Graus disse que está com o título em mãos. Ele lamentou a morte de Marília. “Queria entregar em vida, estava esperando a pandemia passar. Ninguém acreditava que isso poderia acontecer”, disse incrédulo.

Paulinho também disse que pensa em uma forma de homenagear Marília e entregar o título aos familiares. Segundo ele, vai se reunir com Policarpo para acertar os detalhes e “ver a melhor forma de honrar a memória” da cantora. “Queremos entregar o reconhecimento à família.”

Acidente

O acidente aeronáutico aconteceu por volta das 15h30, na Serra da Piedade, em Caratinga, a cerca de 300 quilômetros de Belo Horizonte. Foi o próprio Corpo de Bombeiros que confirmou a morte da artista, que tinha apenas 26 anos.

“O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais informa que nesta sexta (5), ocorreu a queda de uma aeronave de pequeno porte, modelo Beech Aircraft, na zona rural de Piedade de Caratinga. O CBMMG confirma que a aeronave transportava a cantora Marília Mendonça e que ela está entre as vítimas fatais”, diz a nota.

A aeronave onde estava a sertaneja era um modelo bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, prefixo PT-ONJ. Site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) destaca que a empresa acumula três processos. Mesmo portal, entretanto, mostra que a aeronave estava em situação regular e contava com autorização para realizar táxi-aéreo.

Além de Marília, outras quatro pessoas morreram na queda. Foram eles: o tio e assessor da cantora, Abicieli Silveira Dias Filho, o produtor Henrique Bahia, além do piloto e copiloto da aeronave.

LEIA MAIS:

Fila em velório de Marília Mendonça ultrapassa 1 km de extensão, diz a PRF

Presentes participam de culto ecumênico em velório de Marília Mendonça