Campanha contra Influenza alcança apenas 28,4% do grupo prioritário em Goiás

Baixa cobertura vacinal aumenta risco do retorno de doenças já erradicadas, diz SES-GO

Saúde de Goiás admite baixa adesão na vacinação de Sarampo e Influenza em crianças
Saúde de Goiás admite baixa adesão na vacinação de Sarampo e Influenza em crianças (Foto: Agência Brasil)

Dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) informam que foram aplicadas, até o momento, 67.209 doses de vacina contra a Influenza nas crianças de seis meses a seis anos. O número representa 15%. Os dados são desta terça-feira (10), atualizados até às 15h.

No grupo prioritário total, que também inclui gestantes, idosos, povos indígenas, professores, puérperas e trabalhadores da saúde, foram 478.005 imunizações ao todo. Em porcentagem, 28,4% dos 1,68 milhão de goianos, sendo a meta alcançar 90% do público.

No caso da campanha de vacinação contra o Sarampo, as crianças de seis meses a cinco anos vacinadas correspondem a 16,72%, ou 74.940. Outro grupo prioritário, neste caso, é o dos trabalhadores de saúde, que teve 57.932 imunizados, aproximadamente 28%. Neste caso não há meta de vacinação.

Nas duas situações, a pasta admite baixa adesão.

(Foto: Reprodução – SES-GO)

Riscos

No caso influenza, que tem meta de 90% do grupo prioritário imunizado como já mencionado, a campanha foi dividida em duas etapas. A segunda teve início em 2 de maio, e as crianças de 6 meses a menores de 6 anos são prioridades desta etapa, conforme a SES-GO. A de sarampo, por sua vez, começou em 4 de abril.

De acordo com a pasta, “a cobertura vacinal está baixa tanto na vacina contra a Influenza como a contra o Sarampo, aumentando o risco do retorno de doenças já erradicadas”. Ainda segundo a secretaria, os municípios são orientados sobre como melhorar esses indicativos.

“A busca ativa da população não vacinada, horário estendido de funcionamento das salas de vacina, realizar vacinação extramuro propiciando a vacinação de pessoas com necessidades especiais, idosos, e população em locais de difícil acesso”, são algumas das estratégias.