“Chifrudo”: ofensa na internet pode ter contribuído para morte em Perolândia

Primos são suspeitos de cometer o crime após desavença por conta de mulher

Dener Oliveira foi morto a facadas após brigar com o primo e chamá-lo de

A Polícia Civil investiga um homicídio entre parentes ocorrido no último final de semana, em Perolândia, cidade da região Sudoeste de Goiás. Uma das hipóteses levantadas é a de que uma ofensa publicada nas redes sociais tenha contribuído para o crime; vítima chamou primo de “chifrudo”. No entanto, investigadores avaliam que o assassinato tenha sido provocado também por uma disputa entre eles por conta de uma mulher.

Segundo relata o delegado responsável pelo caso, Agnaldo Coelho, o crime ocorreu no último sábado (19), por volta das 23h. Na ocasião, um dos suspeitos identificado como Edvaldo Marcos teria entrado em contato com a ex-namorada, mas não foi respondido. Ele descobriu que a mulher estava se relacionando com seu primo Dener Oliveira, vítima fatal, e resolveu ir até à casa dele para procurá-la.

No local, de acordo com o investigador, Edvaldo começou a agredir a mulher. Diante da situação, Dener teria tentado defender a companheira e entrou em luta corporal com o suspeito. O suposto autor saiu do local e disse que retornaria para matar o primo. Cerca de 15 minutos depois, ele voltou à residência, bateu o carro contra um veículo de Dener e foi embora.

Conforme explica o delegado, horas depois da briga, a vítima fez uma postagens nas redes sociais em que chamava o primo de “chifrudo”. “Ainda não podemos dizer que o post foi o motivo primordial do crime, mas ele pode sim ter contribuído para o assassinato”, disse.

Foto: reprodução

O crime

Por volta das 23h do mesmo dia, Edvaldo retornou ao imóvel do primo com dois filhos identificados como Linneker Santos de Paula e Marcos Vinícius Santos de Paula. Testemunhas disseram à Polícia que os homens derrubaram o portão e entraram no local. Edvaldo e Linneker foram contidos, mas Marcos Vinícius teria conseguido ir até a cozinha, onde desferiu um golpe de faca contra Dener. Após o crime, os três fugiram.

Na segunda-feira (21), o advogado dos suspeitos procurou a Delegacia para informar que os homens prestariam esclarecimentos sobre o ocorrido. Em depoimento à Polícia, eles alegaram que agiram em legítima defesa. “O pai confirmou a briga e que tinha atingido o carro da vítima, mas disse que só retornou ao local depois que a vítima já estava morta”, afirmou o delegado Agnaldo.

Marcos Vinícius, por sua vez, disse que foi até a casa de Dener sozinho e desferiu um golpe de faca após a vítima partir para cima dele. Testemunhas, no entanto, contaram que os três suspeitos chegaram juntos, arrombaram o portão e invadiram o local em busca da vítima.

Próximos passos

Ainda segundo o delegado Agnaldo Coelho, a Polícia vai analisar a possibilidade de representação da prisão preventiva dos suspeitos. A corporação deve ouvir testemunhas mencionadas em depoimentos e aguarda o laudo de crime e cadavérico.

O Mais Goiás entrou em contato com o advogado dos suspeitos em busca de um posicionamento e aguarda retorno. O espaço está aberto para manifestação.