Cocaína adulterada causa ao menos 20 mortes na Argentina

Polícia busca identificar em qual etapa da produção que a droga foi adulterada e que substância letal é essa

Cocaína adulterada causa ao menos 20 mortes na Argentina
Cocaína adulterada causa ao menos 20 mortes na Argentina (Foto: divulgação - Secretaria de Saúde de Buenos Aires)

A distribuição de cocaína adulterada causou a morte de 20 pessoas na região metropolitana de Buenos Aires, na Argentina. Além disso, mais de 70 foram hospitalizadas devido ao uso da droga que foi processada com uma substância “com alto nível de toxicidade” que ainda não foi identificada.

As autoridades sanitárias de Buenos Aires emitiram um alerta epidemiológico. A polícia, por sua vez, rastreia a origem da droga envenenada. Dez pessoas já foram detidas suspeitas de envolvimento no caso. As prisões ocorreram em um bunker no assentamento conhecido como Puerta 8, nos arredores da capital argentina.

O local é tido como o ponto de venda da cocaína envenenada, segundo o ministro de Segurança da província de Buenos Aires, Sergio Berni. “Encontramos a mesma embalagem que os parentes das vítimas nos deram para investigar. É muito importante que você nos ajude a mostrar a embalagem. É nylon e rosa. Parece que estavam fechados à termofusão”, disso Berni ao canal de notícias TN.

A preocupação com o caso ganhou bastante proporção, ao ponto do ministro de Segurança pedir para os usuários de drogas descartarem as substâncias que foram adquiridas nas últimas 24 horas. Segundo ele, é um entorpecente com “alto nível de toxicidade”.

Polícia aguarda resultados toxicológicos de cocaína adulterada que matou 20 na Argentina

A polícia local aguarda os laudos toxicológicos para saber qual substância letal foi misturada com a cocaína. “Isso é excepcional, não temos precedentes, o que nos leva a pensar que, qualquer que seja a substância, ela foi incluída intencionalmente. Não é um erro no processamento do material, ou não parece ser porque a perícia ainda não está lá”, disse o procurador-geral de San Martín, Marcelo Lapargo.

As pessoas que utilizaram a substância e que foram hospitalizadas relataram como sintomas “sinais de choque, depressão sensorial, desconforto respiratório e excitação psicomotora”, de acordo com o alerta emitido pelo Ministério da Saúde à equipe médica.

As autoridades suspeitam que “podem ser casos de intoxicação por opiáceos e desconhece-se a existência de outro produto relacionado”, embora estejam aguardando os testes toxicológicos para confirmar ou descartar essa hipótese.

Os investigadores também procuram esclarecer em que ponto da cadeia de produção em que a droga foi adulterada e quais o motivos para tal. Segundo fontes citadas pelo jornal La Nación, uma possibilidade é que esteja ligada a uma guerra entre traficantes.

“Uma hipótese sugere que um lote de entorpecentes foi adulterado por um narcotraficante para arruinar o negócio de um rival e esvaziar o território dos concorrentes. Não há dúvida de que a substância tóxica foi colocada de propósito”, disseram as fontes mencionadas.

As autoridades estão receosas que o número de mortos aumente com o passar das horas, já que algumas pessoas estão hospitalizadas em estado grave e novos pacientes intoxicados chegam a todo momento.

*Com informações do Jornal O Globo