Criança agredida a pauladas por vizinho no RS segue em estado grave na UTI

Segundo a família da menor, a garota sofreu lesões na cabeça, tem febre e aguarda uma cirurgia

Segundo a família da menor, a garota sofreu lesões na cabeça, tem febre e aguarda uma cirurgia
Segundo a família da menor, a garota sofreu lesões na cabeça, tem febre e aguarda uma cirurgia (Foto: divulgação/ A Tribuna)

Um menina de 10 anos está há uma semana internada em estado grave em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após ser agredida a pauladas por um vizinho. O caso aconteceu no último dia 29 de junho em Itatiba do Sul, no Rio Grande do Sul. O suspeito, de 43 anos, foi preso em flagrante e teve a prisão convertida em preventiva.

De acordo com relatos de familiares ao G1, a garota sofreu lesões na cabeça, tem febre e aguarda uma cirurgia. A menina foi abordada pelo suspeito e violentamente agredida enquanto andava com a bicicleta na rua. A polícia ainda não identificou o que teria motivado o ataque, mas informou que o suspeito tem “histórico de violência”. Uma idosa que tentou ajudar a menina também foi agredida pro ele.

Em entrevista ao G1, a mãe da menina, Juraci da Silva, faltou como tudo aconteceu. “Toda a família está em estado de choque, com o coração partido. Para mim, é muito dolorido, como mãe, ver uma filha num quarto de UTI sem poder enxergar, sem poder falar como está”, diz.

“Sempre incomodou cidade”

A agressão ocorreu no momento em que a menina teria saído para comprar um pacote de macarrão instantâneo. “A notícia que ele [um vizinho] me deu é que a minha filha estaria morta na frente da casa, que [o suspeito] tinha agredido a minha filha”, relata.

A idosa, de 70 anos, que ajudou a criança e acabou sendo agredida já recebeu alta hospitalar. “Tanto a criança quanto a idosa foram agredidas com um pedaço de madeira”, afirma o comissário de polícia, Gerson Pasinotto.

O caso é tratado como dupla tentativa de homicídio triplamente qualificadas, devido ao motivo fútil, meio insidioso ou cruel e ato por traição ou emboscada, dificultando ou impossibilitando a defesa dos ofendidos.

O delegado Gustavo Ceccon afirmou que o inquérito deve ser concluído ainda nesta semana. “Tanto a criança quanto a idosa foram agredidas com um pedaço de madeira”, afirma.

A família, claro, pede justiça pela situação. “Que a justiça seja feita. Que, no mínimo, ele pague o que fez para minha filha. É desumano o que ele fez, ele não teria motivo algum para bater nela”, lamenta a mãe.

*Com informações do G1