Criança com autismo fica 4 dias com a mãe morta em casa até conseguir pedir ajuda, em Jataí

As causas da morte da mulher estão sendo investigadas, mas a princípio, não há nenhum indício de crime

(Foto: Reprodução - PM)

Uma criança com autismo ficou cerca de quatro dias com a mãe morta em casa até conseguir pedir ajuda. O caso foi descoberto na manhã desta quarta-feira (29), na cidade de Jataí. Segundo a Polícia Civil, as causas da morte da mulher estão sendo investigadas, mas a princípio, não há nenhum indício de crime.

De acordo com os investigadores, a menina, que tem 7 anos, só conseguiu pedir por ajuda dias depois que a mãe já estava morta. Ela conseguiu abrir o portão e chamou os vizinhos, que acionaram a Polícia Militar (PM).

A família revelou ao delegado Marlon Souza Luz que a criança possui Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Logo, a menina age e percebe as mudanças ao seu redor de uma forma particular.

“Em algum momento ela, obviamente, teve essa percepção dentro das limitações dela. Há uns dias ela pediu socorro por mensagens de celular, mas o aparelho estava sem internet. Nesse telefone ela gravou áudios, fez vídeos, e fotos. Nós o apreendemos para análise”, detalhou o investigador ao Mais Goiás.

Polícia descarta crime na morte da mãe de criança com autismo

Segundo a polícia, o corpo da mulher estava em um corredor que dá acesso à garagem da residência, situada no Setor Portal do Sol. Não há sinais de arrombamento no imóvel.

Após a chegada da polícia, o corpo da mulher ficou aos cuidados do Instituto Médico Legal (IML), que vai elaborar um laudo cadavérico capaz de constatar a causa da morte.

De acordo com o delegado, a criança ficou aos cuidados de familiares.


LEIA MAIS

Foragido da Interpol é preso em Goiânia suspeito de fraude milionária na África do Sul

Dono de cartório em Rubiataba pode ter sido morto a mando de algum parente, diz delegado

Morre cantor Maurílio, aos 28 anos

Fogos de artifício: veterinária goiana ensina técnicas para acalmar animais

*Larissa Feitosa compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Hugo Oliveira.