Delegado Waldir revela valor oferecido por Bolsonaro para fazer Lira presidente da Câmara

De acordo com o parlamentar, troca de votos por emendas movimentou quase 18,5 bilhões

Delegado Waldir diz que deputados do PSL apoiam Lira por emendas e cargos
Delegado Waldir revela valor oferecido por Bolsonaro para fazer Lira presidente da Câmara (Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados)

O deputado federal, Delegado Waldir (PSL), revelou ao The Intercept Brasil o valor que Bolsonaro ofereceu para que os parlamentares votassem em Arthur Lira (PP) e, assim, o consagrassem como novo presidente da Câmara dos Deputados em fevereiro de 2019. Waldir era aliado do presidente, mas, rompeu com ele após racha com PSL.

“A promessa de R$ 10 milhões em emendas do orçamento secreto para cada deputado que votasse em Lira. É o Bolsolão, esquema de compra de votos do governo Bolsonaro”, diz um trecho da reportagem do The Intercept.

O deputado revelou com detalhes como funciona o “orçamento secreto” de Jair Bolsonaro e a influência dele na troca de votos por emendas. “Um novo tipo de rubrica de gastos que totaliza uma montanha de R$ 18,5 bilhões em 2021, propostos por deputados cujos nomes são mantidos em sigilo pela Câmara”, disse o parlamentar.

Delegado Waldir afirma que recebeu proposta para trocar emendas em votos para Lira

“Waldir diz ter recebido a oferta de R$ 10 milhões em emendas em troca do voto em Lira. Pode ter sido até mais. Waldir, em dado momento da conversa, disse que outros R$ 10 milhões foram acordados no mesmo período, mas ele não soube precisar se também em troca do voto em Lira ou da aprovação de algum outro projeto à época”, diz um outro trecho da reportagem.

De acordo com o deputado, as articulações ocorreram para que Arthur Lira fosse eleito presidente e, dessa forma, a Reforma da Previdência fosse votada na Câmara. “Se o orçamento secreto é uma novidade, a troca de votos por emendas, não. Waldir me disse que, ao votar a favor da reforma da Previdência, em 2019, cada parlamentar teria direito a R$ 20 milhões em recursos do governo federal. O goiano, por ser líder do PSL, levou o dobro”.

O deputado Arthur Lira foi procurado pela reportagem, mas afirmou que só iria se manifestar após a publicação da matéria.

*Com informações da IstoÉ!