Deputado Delegado Humberto Teófilo recusa vacina e vai para o fim da fila, em Goiânia

Deputado publicou vídeo nas redes sociais afirmando que vai questionar o decreto da prefeitura de Goiânia na justiça

“Sommelier de vacina”, deputado Humberto Teófilo vai para o fim da fila em Goiânia1
(Foto: Reprodução/Instagram)

O deputado estadual Delegado Humberto Teófilo (PSL) foi para o final da fila de vacinação depois de se recusar a tomar o imunizante da Coronavac, em Goiânia. O caso aconteceu nesta quinta-feira (29) no Ciams do Novo Horizonte, região sudoeste da capital.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o parlamentar afirmou que não tomaria a vacina da CoronaVac por que não acreditava na eficiência dela. Ele foi ao local e, quando recusou o imunizante disponível, foi informado que teria que assinar um termo de desistência, o que também não fez.

No vídeo, Humberto afirmou que a Coronavac não estaria apresentando grande eficácia e citou a possível necessidade de tomar uma terceira dose. Ele pontuou também que irá questionar o decreto do prefeito Rogério Cruz na justiça.  “Vamos recorrer ao poder judiciário, porque nos obrigar a tomar sem dar uma outra opção… isso não é um estado democrático de direito”, diz o parlamentar no vídeo.

Sommelier de vacina no fim da fila

O decreto citado foi publicado no dia 15 de julho e aponta que aqueles que comparecerem aos locais de vacinação e optarem por não receber a aplicação do imunizante que esteja sendo ofertado estarão condicionados, automaticamente, a aguardar o cumprimento de todo o calendário do Plano Nacional de Imunização (PNI) e a finalização de todos os grupos etários.

Antes da publicação do documento, a assessoria do prefeito publicou nota afirmando que todas as vacinas disponíveis no Brasil tiveram sua eficácia atestadas pela Anvisa.

“O prefeito reforça que todas as vacinas disponíveis no Brasil tiveram sua eficácia atestadas pela Anvisa e entende que, enquanto o poder público se esforça para garantir a imunização à população, cabe aos cidadãos, que tanto esperaram a resposta da ciência, darem suas cotas de participação para vencermos esta grave crise sanitária”, informou.

Coronavac

De acordo com o Instituto Butantan, produtora da vacina Coronavac em conjunto com o laboratório chinês Sinovac, o último estudo feito sobre o imunizante mostrou que a eficácia da vacina contra hospitalizações 14 dias após a aplicação da segunda dose foi de 59%. Contra mortes, o percentual foi de 71,4%.

Ainda de acordo com o estudo, publicado no dia 21 de julho, entre os indivíduos com idade de 70 a 74 anos, a eficácia foi de 61,8% contra a doença sintomática, de 80,1% contra hospitalizações e de 86% contra mortes.

“Em resumo, ficou evidenciado que um esquema de duas doses de CoronaVac foi eficaz na prevenção de casos sintomáticos de Covid-19 e na prevenção de desfechos clínicos mais graves entre idosos frente à variante gama”, diz o estudo.