Desarticulado grupo suspeito de invadir sistemas de órgãos públicos em Goiás

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (26), a operação “Capture the flag”. Vítimas foram feitas em pelo menos outros três estados

A Polícia Federal (PF) anunciou na manhã desta sexta-feira (14) os nomes dos delegados que vão assumir as superintendências regionais dePF anuncia novos chefes em oito estados e Distrito Federal
PF anuncia novos chefes em oito estados e Distrito Federal (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A Polícia Federal realiza nesta sexta-feira (26), a operação “Capture the flag” com o objetivo de combater organização criminosa hacker, especializada na invasão de sistemas informatizados de órgãos públicos, para fins de exposição indevida de dados privados de servidores e autoridades públicas.

Os policiais federais apuraram que a organização teria invadido sistemas de universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores municipais no Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Rio Grande do Sul, além de um governo estadual e diversos outros órgãos públicos.

De acordo com o Inquérito Policial, integrantes do grupo investigado obtiveram e expuseram de forma ilícita dados pessoais de mais de 200 mil servidores e autoridades públicas, com o objetivo de intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos.

Os focos principais da operação ocorrem no Rio Grande do Sul e no Ceará. Pelo menos 90 instituições gaúchas teriam sido invadidas pelo grupo. Há indícios, ainda, da prática de outros crimes cibernéticos por parte da organização criminosa, como compras fraudulentas pela internet e fraudes bancárias.

Nome da operação

O nome da operação Capture the flag – se dá em razão de competição na área de pentest (testes de invasão) onde os participantes precisam encontrar vulnerabilidades em sistemas e redes de comunicação. As vulnerabilidades são as “bandeiras” que os participantes precisam capturar.