Detento é assassinado por colegas de cela dentro do presídio de Águas Lindas

Líder de uma facção criminosa, Jefferson Estâncio estava na unidade desde fevereiro do ano passado

Detento é assassinado por colegas de cela dentro do Presídio de Águas Lindas
Detento é assassinado por colegas de cela dentro do Presídio de Águas Lindas (Foto: divulgação - SSP)

A Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) afirma que já abriu procedimento para investigar a morte de um detento que cumpria pena por tráfico de drogas no Presídio Estadual de Águas Lindas, cidade goiana que fica no Entorno do Distrito Federal. Apontado como um criminoso de alta periculosidade, e líder de uma facção criminosa, Jefferson Estâncio Messias teria sido assassinado por colegas de cela no final da noite de sexta-feira (31).

De acordo com o relato de familiares de outros detentos, o traficante teria sido espancado por colegas de cárcere pouco antes da virada do ano, no momento em que os policiais penais jantavam na cozinha. Há relatos não confirmados pela DGAP de que, no momento em que a confusão começou, presos de outras celas teriam batido nas grades, e gritado pedindo por socorro.

Quando os policiais ouviram e foram até o pavilhão, local, Jefferson já estava caído, desmaiado, na cela. Socorristas foram acionados, mas, ao chegarem no presídio, já encontraram o traficante sem vida. A DGAP afirma que não há indícios de espancamento.

Detento foi transferido após motim no ano passado

Integrante de uma facção criminosa paulista, e com forte liderança dentro do Presídio de Águas Lindas de Goiás, Jefferson Estâncio esteve preso, até o início do ano passado, na Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (POG), que fica no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Ele foi transferido junto com outros detentos no final de fevereiro após participar de um motim que destruiu completamente um dos blocos da POG.

Ainda não há informações sobre o que teria motivado o assassinato de Jefferson Estâncio, e o caso chama ainda mais a atenção, uma vez que, no Presídio Estadual de Águas Lindas, estão somente criminosos pertencentes à mesma facção a que ele pertencia. Em nota enviada ao Mais Goiás, a DGAP disse que, além de um processo interno, já acionou as autoridades policiais para que também investiguem o caso.

Veja abaixo a nota completa

“Foram tomadas as devidas providências em relação à morte de um custodiado da Unidade Prisional Estadual de Águas Lindas de Goiás, no último dia 31. Servidores plantonistas foram informados que o detento estava passando mal. De imediato, foram prestados os primeiros atendimentos médicos e uma equipe de saúde do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada. Profissionais que constataram o óbito do preso.
Mediante os fatos, foram abertos procedimentos administrativos internos para apuração do ocorrido.
A direção do presídio comunicou às autoridades policiais competentes sobre o ocorrido e aguarda o laudo oficial do óbito com a causa da morte”.