DGAP inicia distribuição de cobertores em presídios na Grande Goiânia

200 peças começam a ser entregues na região metropolitana de Goiânia; campanha atingirá outras unidades do Estado

Penitenciárias iniciam a distribuição de cobertores em presídios na grande Goiânia (Foto: Divulgação – Dgap)

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária iniciou, na quinta-feira (19), a distribuição de 200 cobertores em presídios da região Metropolitana de Goiânia. Os itens foram adquiridos com recursos próprios da DGAP e de doações de instituições parceiras. As peças são destinados aos custodiados que as famílias não tiveram condições de adquirir os produtos.

Neste primeiro momento, foram beneficiados os detentos da 1ª Coordenação Regional Prisional, que envolve presídios como a Penitenciária Odenir Guimarães (POG), Casa de Prisão Provisória (CPP) e Central Regional de Triagem, em Aparecida de Goiânia; Unidade Prisional Regional de Anápolis, dentre outras.

O objetivo é adquirir cobertores para alcançar outras unidades prisionais do Estado. “Sempre que começa o período de frio, damos início à distribuição de cobertores. É responsabilidade da DGAP oferecer assistência material ao apenado, como preconiza a Lei de Execuções Penais”, afirma o diretor-geral de Administração Penitenciária, Josimar Pires.

Presos recebem cobertores em presídios,mas também fabricam toucas e meias para doação

Em Itauçu, na última quarta-feira (18), a Unidade Prisional Regional realizou a doação de toucas e meias de lã ao Lar dos Idosos, localizado no município. Os produtos foram confeccionados pelos detentos, utilizando insumos repassados por uma instituição religiosa.

A produção dos materiais integra o projeto “Ponto Alto”, em que detentos participam da produção de toucas, meias e chapéus, que também foram doados para pacientes em tratamento quimioterápicos.

Todos os presos que participam da produção dos materiais são beneficiados com a remição da pena por tempo de trabalho, conforme determina a Lei de Execução Penal.

Presos recebem cobertores em presídios, mas também fabricam toucas e meias para doação (Foto: Divulgação – Dgap)