Dois postos são denunciados por adulteração de combustível, em Cristalina

Durante vistoria, a Agência Nacional do Petróleo constatou que o etanol estava adulterado e ambos os postos foram autuados

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou, na terça-feira (14), dois postos por adulteração de combustível, no município de Cristalina. As denúncias foram contra os empresários Fabrício Silva Gonçalves e José Geraldo da Silva, donos dos estabelecimentos Vênus e Topázio.

De acordo com o promotor de Justiça, Samuel Fonteneles, os empresários foram denunciados por crime praticado contra a ordem econômica, ao armazenar e revender combustível em desacordo com as normas estabelecidas. A irregularidade data de julho de 2015, quando ambos comercializaram e estocaram etanol hidratado adulterado.

O promotor apurou ainda que durante vistoria realizada nessa época, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) constatou que, em ambos os postos, o etanol apresentava densidade diversa da exigida. Após a vistoria, ambos os postos foram autuados pela agência.

Na época, os empresários eram os responsáveis pela administração da Rammal Combustíveis Ltda, que mantinha os postos, decidindo quais atos seriam praticados ou omitidos em nome da sociedade, bem como a qualidade dos combustíveis comercializados. O Mais Goiás tentou entrar em contato com os empresários mas as ligações não foram atendidas.

Em nota o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto) esclarece que não compactua com qualquer tipo de atividade irregular praticada por empresários do ramo em Goiás. De acordo com o Sindicato, esses atos ilícitos prejudicam a imagem dos demais empresários, além de corroborar para a prática da concorrência desleal entre eles. O sindicato completa que defende a punição dos responsáveis, a fim de preservar o trabalho digno de seus representados.