Dólar cai, após facada em Bolsonaro

Desde que a notícia saiu, às 16h10, o Ibovespa já registrou alta de quase 1000 pontos

O Ibovespa acentuou os ganhos e passou a disparar mais de 1%, em um movimento coincidente com o ataque a faca contra Jair Bolsonaro (PSL) durante campanha em Minas Gerais. Às 16h29 (horário de Brasília), o índice registrava alta de 1,33%, a 76.091 pontos, enquanto o contrato de dólar futuro com vencimento em outubro passou a ter queda de 0,69%, a R$ 4,126.

Desde que a notícia saiu, às 16h10, o Ibovespa já registrou alta de quase 1000 pontos, como pode ser observado na figura abaixo.

Dólar (Reprodução: Infomoney)

Dólar tem variação, após episódio de ataque a candidato à presidência da república (Reprodução: Info Money)

A avaliação do mercado é de que, com esse ataque, aumenta o sentimento de polarização no País, o que pode beneficiar o Bolsonaro nas próximas pesquisas eleitorais, em que ele já aparece como líder, mas ainda sofre por ter grande rejeição.

Na última pesquisa Ibope, Bolsonaro aparece com 22% das intenções de voto no primeiro turno, mas perderia nos cenários de segundo turno na disputa contra Ciro Gomes, Marina Silva e Geraldo Alckmin, empatando tecnicamente com Fernando Haddad. O mercado passou a ver de forma positiva uma eventual vitória do candidato do PSL, principalmente por conta do plano de governo liberal e o fato de Paulo Guedes, a favor de privatizações e de reformas, ser o assessor econômico do candidato.

“Martiriza Bolsonaro. Até porque, pelo que indica o noticiário, o agressor é de esquerda. Isso pode fortalecer o candidato”, destaca um cientista político ouvido pelo InfoMoney.

De acordo com informações do filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, o candidato do PSL passa bem: “Jair Bolsonaro sofreu um atentado agora em Juiz de Fora, uma estocada com faca na região do abdômen. Graças a Deus, foi apenas superficial e ele pesa bem. Peço que intensifiquem as orações por nós!”, disse ele pelo Twitter. (As informações são do Info Money)