Dólar cai pelo terceiro dia seguido e fecha o dia vendido a R$ 5,53

O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 105.529 pontos, com queda de 0,15%.

Dólar cai pelo terceiro dia seguido e fecha o dia vendido a R$ 5,53
Foto: Marcello Casal Jr - Agência Brasil

O dólar voltou a cair nesta quinta-feira (13), depois de mais um dia de trégua no mercado financeiro. A moeda americana encerrou o dia vendido a R$ 5,53, com queda de 0,1%. A cotação chegou a cair para R$ 5,50 na mínima do dia, por volta das 12h, mas operou perto da estabilidade durante a tarde, à medida que o otimismo no mercado internacional arrefecia.

Essa foi o terceiro dia de queda seguida do dólar. Nos primeiros dias de 2022, a moeda acumula uma queda de 0,83%.

Já o mercado de ações foi marcado pela volatilidade. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 105.529 pontos, com queda de 0,15%. O indicador alternou altas e baixas ao longo do dia, mas fechou com perdas, puxado por ações de mineradoras e siderúrgicas, afetadas pela queda no preço internacional do minério de ferro após notícias da China.

Nesta quinta a incorporadora chinesa Evergrande, que acumula uma dívida de US$ 309 bilhões (cerca de R$ 1,16 trilhão), conseguiu adiar o pagamento de títulos em moeda local em seis meses. Mesmo com o fechamento do acordo, o mercado teme que outras incorporadoras chinesas não consigam renegociar suas dívidas.

A crise no mercado imobiliário chinês afeta diretamente o Brasil. O país é o nosso principal comprador de commodities (bens primários com cotação internacional) e essa situação tem provocado a desaceleração da economia por lá, o que se reflete em quedas na cotação do minério de ferro.

Já nos Estados Unidos, o mercado reagiu bem à divulgação de que a inflação ao produtor caiu de 1% em novembro para 0,2% em dezembro. Os números estão em linha com as expectativas do mercado, reduzindo as pressões para que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central norte-americano) antecipe o aumento de juros ou o fim da compra de títulos em vigor desde o início da pandemia de covid-19.

No entanto, as ações de empresas de tecnologia nos Estados Unidos tiveram queda generalizada durante a tarde, reduzindo o clima de tranquilidade no mercado internacional e pressionando o dólar e a bolsa no Brasil.

Com informações de Agência Brasil