Dono de garagem responderá por prejuízo de R$ 3 milhões a 80 clientes, em Aparecida

Vítimas deixavam os veículos em consignação para serem vendidos. Quando o empresário realizava a venda, não transferia o valor devido aos proprietários dos carros

Loja de seminovos em Aparecida de Goiânia (Foto: Reprodução - Google)

A Polícia Civil indiciou o dono de garagem de veículos Will Seminovos, em Aparecida de Goiânia, por estelionato. Ele foi preso no dia 18 de julho  após 40 clientes registrarem boletins de ocorrência contra o garageiro. Ele teria vendido os veículos mas não repassou os valores aos donos.

A delegada responsável pela investigação afirma que, desde a divulgação do caso, o número de denúncias subiu para 80 e o prejuízo das vítimas, que era estimado em R$ 1 milhão, saltou para R$ 3 milhões.

A Polícia Civil aponta que o dono e um sócio cometeram os crimes de estelionato e apropriação indébita. O inquérito já foi remetido à Justiça e, até a sentença, eles responderão em liberdade.

“Ele confessou que teve problemas financeiros, que realmente pegava os carros das pessoas e não repassava o dinheiro. Nos dizeres dele, era tipo um ‘tapa buracos’, ele vendia um carro e entregava o dinheiro para aquele cliente que estava cobrando, financiava alguns carros sem autorização do proprietário e tudo isso foi gerando uma dívida muito grande até acontecer o que aconteceu”, explica a delegada Bruna Coelho.

Golpe nos clientes

No dia 7 de julho, cerca de 40 clientes relataram que o dono da garagem desapareceu com cerca de R$ 1 milhão oriundos da venda de carros. Eles disseram que tentaram contato com o empresário desde o dia 4, mas não conseguiram localizá-lo.

As vítimas deixavam os veículos em consignação para serem vendidos. Quando o empresário realizava a venda, não transferia o valor devido aos proprietários dos carros (ou pagava apenas uma parte). Um dos clientes deixou 14 veículos para serem vendidos pelo investigado e ficou no prejuízo.

Quando os clientes foram até a garagem para cobrar o dinheiro, os funcionários do local recolheram os computadores para fechar a loja, mas as vítimas acionaram a Polícia Militar que encaminhou os envolvidos para a delegacia.