Eduardo Leite em Goiânia: “cabe ao PSDB escolher qual estilo quer para 2022”

Governador do Rio Grande Sul veio a capital goiana em busca da preferência do partido para as prévias do fim de ano

Tucanos assinam carta para que Eduardo Leite fique no PSDB
Tucanos assinam carta para que Eduardo Leite fique no PSDB (Foto: Jucimar de Sousa/ Mais Goiás)

Em evento realizado em Goiânia, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse que cabe ao PSDB escolher qual estilo quer para as eleições de 2022. O político disputa a preferência do partido para ser candidato à presidência da República, no ano que vem. As prévias da sigla na capital ocorreram na manhã deste sábado (7) e contou com diversas lideranças políticas.

“Cada um tem seus próprios governos para serem avaliados. Não é uma discussão sobre capacidade de gestão, porque cada um governa ou governou e teve resultados. Não é sobre a capacidade política individual de cada um, é sobre o estilo e a cara que o PSDB quer ter na próxima eleição. Qual jeito de fazer política que o partido entende que melhor pode fazer com que a gente consiga se reconectar com o eleitor em 2022″, afirmou.

De acordo com o político, a capacidade eleitoral não é definida pelos atributos exclusivos do candidato, mas está inserida dentro do contexto.

“Nós estamos em um mesmo partido político, o que significa que nós temos uma visão muito semelhante de política e de como o governo deve atuar nas diversas áreas. A visão do PSDB é muito clara na forma de pensarmos sobre como o governo deve se organizar”, disse Leite.

Eduardo Leite em Goiânia

Eduardo Leite vem à capital goiana, assim como João Doria, que veio em 10 de julho para as disputas das prévias da sigla no final deste ano. Outros pré-candidatos são Tasso Jereissati, Artur Virgílio.

Durante o encontro, o governador do Rio Grande do Sul disse que errou ao votar o presidente Jair Bolsonaro nas últimas eleições.

O gestor reforçou, contudo, que não fez campanha para Bolsonaro e nem material casado. De acordo com ele, gravou um vídeo no segundo turno – que pode ser conferido no Twitter – declarando voto como cidadão, embora colocasse o próprio partido em primeiro lugar. “Fiz campanha para o Alckmin”, disse Eduardo Leite.