Eleições OAB-GO – confira os principais pontos do debate promovido pelo Mais Goiás e Rota Jurídica

Mais Goiás e Rota Jurídica promovem último debate entre candidatos a presidência da OAB-GO

Eleições OAB-GO - confira os principais pontos do debate1
Imagens: Jucimar de Sousa - Mais Goiás

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (18), o debate entre os candidatos a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO). O evento foi fruto de uma parceria entre o Mais Goiás, o portal Rota Jurídica e a Fecomércio e foi o último encontro entre os quatro candidatos antes da eleição, que acontece nesta sexta-feira (19).

Todas as chapas inscritas participaram do debate: Muda OAB, encabeçada pelo candidato Pedro Paulo Guerra de Medeiros; Compromisso OAB, que lançou como candidato a presidente Rafael Lara Martins; Ordem Unida, Ordem Unida, representada por Rodolfo Otávio Pereira da Mota Oliveira; e OAB pata [email protected], encabeçada por Valentina Jungmann Cintra.

O encontro foi marcado por farpas entre os candidatos. Entre acusações de elitismo, de supostos escândalos, o pagamento de advogados dativos e sobre a anuidade da OAB, os postulantes aproveitaram as brechas para falarem um pouco mais sobre suas propostas.

Confira os principais pontos do debate:

ESA

Durante o primeiro bloco de perguntas, a mediação do debate garantiu ao candidato Rafael Lara um direito de resposta. A fala foi concedida depois que a candidata Valentina Jungmann afirmou ter havido um “escândalo” na Escola Superior de Advocacia (ESA).

Durante a primeira pergunta, Valentina também criticou a atual gestão da escola, ressaltando que é preciso mais do que certificados. “Mais do que números de certificados, vamos atuar para que o advogado(a) continue a sua formação”, disse a candidata. “[Precisamos] fazer convênios com instituições sérias, para evitar escândalo que tivemos na gestão do Dr. Rafael”.

Rafael Lara, candidato da situação, afirmou que não existe nenhum escândalo. “O que fizemos forma alguns cursos de pós-graduação da Faculdade Cambury. Inclusive, o conselheiro federal, Dr. Fernando de Paula, ajudou a intermediar”.

Lara ressaltou ainda que o “escândalo” citado por Valentina foi uma denúncia feita pela oposição em 2018 e que ela foi arquivada. Ele ressaltou ainda que a ESA de Goiás é exemplo para todo o país. “Tenho orgulho do que foi construído”, concluiu.

Pagamento de advogados dativos

Ainda no primeiro bloco, o candidato Pedro Paulo de Medeiros pediu a Rodolfo Otávio que comentasse o episódio em que ele, Rodolfo, levou ao ao presidente da Ordem, Lúcio Flávio de Paiva, uma proposta para agilizar o pagamento dos advogados dativos e ele recusou.

“Em um debate, o senhor fez uma grave acusação ao presidente da OAB, Lúcio Flávio. O senhor disse que levou um projeto para agilizar o pagamento das UHDs (espécie de créditos devidos aos advogados dativos) e o presidente disse ‘deixa disso’, o que comprova omissão da atual gestão da OAB”, disse Pedro Paulo.

Rodolfo confirmou que a conversa aconteceu. “Lúcio me disse: não trata disso agora porque estou conversando com a Secretaria de Economia para agilizar os pagamentos da UHD. O resto das acusações vêm do senhor, candidato”. Rodolfo aproveitou a resposta para alfinetar Pedro Paulo, dizendo que ele nega sistematicamente a participação da OAB Forte (representada por Miguel Cançado, por exemplo) na sua campanha. “É descompromisso com o seu passado. O senhor tem que ser mais coerente”.

“Chapa elitista”

Durante o debate, Pedro Paulo chamou a chapa de Rafael Lara de elitista. A discussão começou quando Lara afirmou que o projeto paridade inclui igualdade nos quadros da ordem, além de renovação de 60% nos quadros dos candidatos.

“Quando falamos de paridade, falamos da Casag (Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás), onde a maioria da direção é composta por mulheres advogadas. Na próxima gestão, teremos a ouvidoria da mulher advogada, para que elas encontrem a sororidade”, respondeu ao candidato Pedro Paulo de Medeiros.

Na réplica, Pedro Paulo de Medeiros chamou a chapa de elitista e afirmou que só cumpriu a cota. Já na tréplica, Lara diz que tem orgulho da gestão que construiu e vai construir, com espaço para as mulheres advogadas.

Anuidade na OAB-GO

Sobre o tema, Valentina Jungmann perguntou a Pedro Paulo se a proposta que ele apresentou sobre anuidade zero era a mesma já instituída pelo Conselho Federal da Ordem. Na resposta, o candidato negou que se trate da mesma coisa e afirmou que sua ideia é instituir um programa de cashback.

“Em momento algum se fala em transformar anuidade em zero. Não podemos renunciar, é um nome de programa que já existe em seccionais onde colegas fazem gastos em locais e criam créditos em instituições, que repassam para a OAB e abatem da anuidade.”

Subseções

Ao ser perguntado por Rodolfo Mota sobre as demandas das subseções de Cristalina, Posse, Crixás, Valparaíso de Goiás e Montividiu, Rafael Lara di ressaltou que as demandas das subseções eram diferentes em 2015 de hoje. “As salas estavam abandonadas, mas conseguimos reverter na gestão de Lúcio Flávio, trazendo dignidade.”

Segundo ele, cada subseção tem uma demanda diferente, como a criação de uma Goianira. “Posse, feliz na nossa gestão, viu a ESA (Escola Superior da Advocacia) chegar a 100% das cidades no nossa gestão.”

Na réplica, Mota diz que as cidades do interior seguem carentes. “A subseção de posse está há quase três anos em juiz titular”, exemplifica.

Já Lara, durante a tréplica, admite que são muitas as demandas pelo Estado. Contudo, afirma que vai criar benefícios de estrutura no entorno e em todo o interior.

Relações políticas

Rodolfo Mota citou uma série de encontros de Pedro Paulo com políticos goianos e perguntou sobre essas relações, afirmando que o candidato se utiliza de velhas práticas de gestões anteriores da OAB-GO. “Você ainda quer administrar Ordem com essas velhas práticas da política partidária? Acha que terá independência repetindo os erros do passado?”

Pedro Paulo respondeu que advoga para vários políticos de diversas matizes e que não tem vergonha de ser advogado. No entanto, afirma Pedro, isso não significa que a OAB-GO perderá autonomia se ele for eleito. Ele ressaltou que conversará com membros da sociedade para saber o que ela e a advocacia precisa.

O debate entre candidatos da OAB-GO

O Mais Goiás e o portal Rota Jurídica promovem o último debate entre os candidatos a presidente da seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO). O encontro, transmitido pelos perfis do Mais Goiás e do Rota Jurídica no Instagram e no Youtube, contou com a participação de Pedro Paulo Guerra de Medeiros, Rafael Lara Martins, Rodolfo Otávio Mota e Valentina Jungmann.

O debate foi conduzido pelo jornalista Rubens Salomão em formato livre, o que garantiu aos candidatos a possibilidade de tratar de todos os temas que considerarem relevantes.

Assista o debate na íntegra aqui:

Eleições OAB-GO

O processo que escolherá o novo presidente da ordem teve início no dia 6 de outubro, com a abertura do prazo para o registro de chapas. As eleições acontecerão entre as 9 e as 17 horas desta sexta (19), tanto em Goiânia como nas subseções. Na maioria das cidades, as eleições acontecerão com urnas eletrônicas disponibilizadas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). Ao todo, serão 127 urnas, sendo 60 da capital e, em algumas seções, em urnas convencionais. O eleitor pode consultar o seu local de votação no site da OAB-GO. Para realizar a sua pesquisa, clique aqui.

Para participar, o eleitor deverá apresentar seu documento de identificação oficial, com foto, ao mesário de sua seção. Serão aceitos: carteira de Identidade de Advogado, RG, CNH, CTPS, ou o Passaporte. A carteira profissional digital da OAB também será aceita. A votação é obrigatória para todos os advogados que estão em dia com a Ordem.

Após o fim do processo, a apuração será transmitida pelo canal da OAB-GO no Youtube.