Eletricistas são premiados mensalmente por atender regras de segurança em Goiás

Troféu Capacete de Ouro premiou 14 eletricistas na primeira edição realizada no Estado goiano

Eletricistas são premiados mensalmente por atender as regras de segurança em Goiás
Eletricistas são premiados mensalmente por atender as regras de segurança em Goiás - (Foto: Alex Malheiros/Enel)

O Troféu Capacete de Ouro premiou em novembro 53 eletricistas, sendo 14 em Goiás. O mérito tem como objetivo valorizar atuação dos profissionais em campo, no que diz respeito ao atendimento às regras de segurança. Segundo a Enel Distribuição, cada vencedor recebe um troféu com o formato de um capacete dourado e uma bonificação em dinheiro.

O diretor de infraestrutura e Redes da Enel no Brasil, Gino Celentano afirma, que a segurança é prioridade e a premiação busca estimular essa consciência entre os eletricistas.

“Ao reconhecer e premiar aqueles que se destacam em campo por ter um comportamento responsável e seguro, estamos também buscando inspirar os demais a fazer o mesmo, para que tenham a chance de ser reconhecidos nas próximas edições”, disse.

Como é feita a seleção para o prêmio?

A seleção dos premiados é feita todos os meses em três etapas, a partir de regras definidas em regulamento aprovado pela Enel e pelas empresas parceiras participantes.

A primeira é o período de indicações, que é aberto às parceiras e a todos os eletricistas da companhia. Os nomes indicados passam por dois comitês que avaliam critérios objetivos como atendimento às regras de segurança no trabalho diário, assiduidade e inexistência de registro de mal comportamento ou reclamações contra o eletricista.

Investimento em segurança

Hoje a empresa de energia elétrica conta com 24 centros de treinamento em Goiás, dois deles em Goiânia, e inaugurou em 2020 um Centro de Treinamento Avançado, resultado de um investimento de R$ 7 milhões, que conta com tecnologia para atuação na rede elétrica.

O diretor de Infraestrutura e Redes de Goiás, José Luis Salas explica que existe um plano de segurança que inclui a recapacitação de toda a mão de obra, além de uma média de 2 mil inspeções e caminhadas de segurança por mês.