Em Anápolis, adolescente é assassinada e namorado é baleado após convite para festa 

Três suspeitos de 16, 19 e 21 anos foram localizados pela Polícia Militar (PM), e o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil ficará responsável pelo caso. 

Crime ocorreu na noite de sexta-feira (22). (Foto: Jonathan Cavalcante/Mais Anápolis)
Crime ocorreu na noite de sexta-feira (22). (Foto: Jonathan Cavalcante/Mais Anápolis)

Três suspeitos de 16, 19 e 21 anos foram localizados pela Polícia Militar (PM) após o assassinato de Maria Luiza Santos, de 17 anos, durante a noite de sexta-feira (22), no distrito de Interlândia, em Anápolis. O namorado dela de 19 anos também foi baleado, mas conseguiu fugir e pedir socorro. Segundo a PM, o casal havia sido convidado por indivíduos para uma festa em Goianápolis. O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil ficará responsável pelo caso.

Emboscada

De acordo com a PM, o casal que mora em Anápolis teria aceito o convite de dois indivíduos para irem a uma festa, porém, nas proximidades de Goianápolis os suspeitos pararam o carro alegando que estavam chegando ao evento. Os indivíduos ordenaram que o rapaz descesse, e nisso efetuaram disparos de arma de fogo. Ele foi baleado na mão, mas conseguiu fugir para uma mata. Após os disparos, os ocupantes do veículo fugiram com a adolescente, que posteriormente foi assassinada.

Suspeitos Localizados

O rapaz baleado conseguiu pedir ajuda na região. A Polícia Militar tomou conhecimento do fato e em diligências localizou um dos suspeitos do crime na cidade de Anápolis. Segundo a corporação, ao ser abordado, o indivíduo confessou que tentou matar o rapaz, e que havia executado a menina.

Nas proximidades da BR-153, em Interlândia, a PM encontrou Maria Luiza sem vida e com sinais de disparos de arma de fogo. Após perícia o Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção do corpo.

Os outros dois envolvidos, dentre eles um menor de 16 anos foram identificados e levados à Central de Flagrantes da Polícia Civil. Celulares, entorpecentes e munições foram apreendidos. A arma utilizada nos crimes não foi encontrada.

A Polícia Civil por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) ficará responsável pelo caso.