Empresas suspendem cruzeiros no Brasil após surto de Covid

Cruzeiros que estão atualmente em navegação vão finalizar seus roteiros

Empresas suspendem cruzeiros no Brasil após surto de Covid
Foto: Divulgação

A Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (Clia) divulgou nesta segunda-feira (3), que as companhias suspenderão suas operações no Brasil até o próximo dia 21. A decisão vem depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçar a urgência em acabar com temporada de cruzeiros, após surtos de Covid em navios. A recomendação foi feita ao Ministério da Saúde.

O órgão de vigilância suspendeu embarques em dois navios, no último domingo (MSC Splendida) e nesta segunda (Costa Diadema), em Santos, após passageiros testarem positivo para Covid nos últimos dias.

Infectados em navios

No Splendida, 78 infectados em uma viagem de réveillon e a embarcação atracou às pressas no Porto de Santos, no último dia 30. Os passageiros tiveram de ficar isolados em suas cabines. Uma nova viagem seria iniciada no último domingo, mas a Anvisa cancelou o embarque de cerca de 2 mil passageiros que esperaram por horas para entrar no navio. E o Splendida entrou em quarentena.

Já no Costa Diadema, houve 68 casos e o navio ficou atracado em Salvador, com 4 mil pessoas em quarentena desde o último dia 31. Ele atracou em Santos nesta segunda, para desembarque dos passageiros, e teve as próximas duas viagens canceladas pela Anvisa.

Outro navio da MSC, o Preziosa, teve 28 infectados, que desembarcaram no Rio, e foi liberado para seguir viagem no domingo (2), após 8 horas de atraso do embarque.

Temporada de cruzeiros

A retomada das operações dos navios de cruzeiro para a temporada de 2021/2022 foi prevista pela Portaria Interministerial CC-PR/MJSP/MS/MINFRA nº 658, de 5 de outubro de 2021, em cenário anterior a identificação da nova variante de preocupação, Ômicron, que foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 24 de novembro.

A associação das empresas de cruzeiros diz que os casos identificados consistem em “uma pequena minoria da população total a bordo”, mas que “busca alinhamento com as autoridades do governo federal, Anvisa, estados e municípios para resolver as diferenças de interpretação e aplicação das medidas previamente aprovadas com este novo cenário”.

De acordo com a associação, os cruzeiros que estão atualmente em navegação vão finalizar seus roteiros conforme previsto.