Equipe goiana de futebol americano estreia em competição nacional

Único representante de Goiás na Liga Nacional de Futebol Americano, Goiânia Saints começa a disputa neste sábado (21) contra o Operário Gravediggers

Nesse final de semana, uma equipe goiana fará sua estreia na Liga Nacional de Futebol Americano (LNFA), que equivale à 2ª Divisão da modalidade. Com o confronto marcado para sábado (21), o Goiânia Saints vai a Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, para enfrentar o Operário Gravediggers, na quinta edição da LNFA.

A equipe, que carrega as cores amarela e preta, ainda é jovem. Mesmo em processo de desenvolvimento desde junho de 2017, o Goiânia Saints iniciou suas atividades oficialmente em janeiro deste ano. Desde então, o time realizou dois amistosos. O primeiro contra o Leões de Judá, em Brasília, no dia 6 de junho, em que os goianos perderam por 36 a 0. Já no duelo contra o Templário de Brasília, no último dia 30, a vitória foi da mais nova equipe da bola oval, em Goiânia, com o placar de 18 a 15.

“Foram muito bons esses dois amistosos, porque conseguimos preparar a equipe para o jogo”, afirmou Marcelo Taveira, que além de fundador é o presidente e técnico de recebedores (receivers) do time. Durante esse período, também ocorreram seletivas para a composição da equipe. Ao todo foram três, nas quais todos os candidatos passaram por uma série de testes e avaliações.

Fundado por Marcelo Taveira, Pedro Henrique de Oliveira e Lázaro Filho, o Goiânia Saints surgiu a partir da aspiração de três amigos em mudar o cenário desse esporte no estado. “A equipe foi criada para difundir cada vez mais o futebol americano em Goiás, bem como levar Goiânia ao patamar dos outros times do Brasil”, relata Marcelo. Ainda de acordo com ele, o time chega com a proposta de implantar um modelo inovador de gestão.

“Já tínhamos experiências como atletas de outras equipes, porém, sempre vimos o mesmo estilo de gestão, que precisava ter uma linha de raciocínio e atuação mais amplos, mas não o faziam. Os projetos sempre tinham foco, que era ter um time para competir nacionalmente. Mas a proposta do Saints é além disso. Além da equipe adulta, iremos criar a equipe sub-19 e também criaremos a escolinha para crianças e adolescentes. Está nos planos do nosso projeto criar também uma equipe feminina adulta”, relata.

Entre os projetos do Saints está também a aquisição de um centro de treinamento, com campo, academia e estrutura de apoio fora dos campos. Esses são projetos a longo prazo, uma vez que, a equipe não conta com patrocínio, e se mantém por meio da mensalidade dos atletas, no valor de R$ 70,00, que possibilita aos mesmos acessos a um seguro para despesas médicas hospitalares, em caso de alguma lesão no esporte. Outra fonte de renda são as arrecadações por meio da venda de rifas, eventos gastronômicos, venda de camisetas, chinelos, garrafas, chaveiros e adesivos personalizados.

Em relação às competições, o Saints irá disputar somente a LNFA em 2018. Para o próximo ano o objetivo é disputar a Taça Cairo Santos, que é o campeonato organizado pela Federação de Futebol Americano do Centro-Oeste (Fefac), sediada em Brasília. Além disso, a equipe planeja a manutenção na disputa da Liga Nacional, ou caso consigam o acesso, no Brasileiro de Futebol Americano (BFA), 1ª Divisão da modalidade.

Na primeira etapa da LNFA de 2018, os goianos terão dois jogos em casa. O primeiro será no dia 4 de agosto, contra o Galaxy Footbal, e o outro, no dia 15 de setembro, quando enfrenta o Sinop Coyotes. Ambos adversários são de Sinop, Mato Grosso. Os confrontos estão programados para o Clube Ferreira Pacheco, sempre às 14 horas.

Goiás já teve outros representantes no futebol americano. Entre eles, o Goiânia Guarás, o Vila Nova Tigres e o Madkings, que anunciaram fusão com o Universo Rednecks. Mas, atualmente, o Saints é o único representante do Estado de Goiás em uma competição nacional.

Liga Nacional

Composta por 43 equipes, a Liga Nacional é dividida em quatro conferências. Norte, Sul, Centro-Oeste e Sudeste. Elas são organizadas em duas divisões, a Brasileira (Norte e Centro-Oeste) e a Nacional (Sul e Sudeste). Os times de cada conferência jogam entre si pelo sistema de pontuações.

As melhores equipes de cada conferência se enfrentam dentro da mesma divisão, e garantem o acesso para a próxima edição do BFA. Além disso, os vencedores de cada divisão fazem a grande final do campeonato: Divisão Brasileira contra Divisão Nacional. O Nordeste possui uma liga independente, por isso não faz parte da Liga Nacional.