Espaço externo do Mutirama é alvo de disputa entre projeto esportivo e camelôs

Professora denuncia que local se tornou ponto de comerciantes irregulares

Espaço externo do Mutirama é alvo de disputa entre projeto esportivo e camelôs
Espaço externo do Mutirama é alvo de disputa entre projeto esportivo e camelôs - Foto: reprodução CENG/ Facebook

A  área externa do Parque Mutirama é objeto de disputa entre um projeto esportivo e os ambulantes. O espaço sobre o túnel da Avenida Araguaia foi criado pela Prefeitura de Goiânia como um complexo de convivência e lazer, mas tem se tornado ponto dos comerciantes irregulares (camelôs), após dois meses da reabertura do parque.

A professora de Educação Física Wagnér de Oliveira Costa, de 71 anos, que trabalha há 50 anos com o projeto Atletas de Cristo, no Mutirama, tem denunciado a situação de confusões e conflitos, que ainda segue sem solução.

A educadora realiza treinos de basquete gratuitos e contou ao Mais Goiás que o convívio com os ambulantes se tornou difícil, chegando ao nível de agressões verbais. Inclusive, ela já registrou um boletim de ocorrência.

Segundo Wagnér, os vendedores param os carros nas quadras em todos os dias de funcionamento do Mutirama. “Eles buscam confusão, enfrentam e soltam vários xingamentos contra mim”, relata.

Wagnér contou ainda que, antes da última reforma no parque, as quadras existiam dentro do próprio Mutirama. “Ficamos sem o espaço lá dentro, mas ao menos nos deram aqui na área externa… Mas agora nem isso”, lamenta.

Área externa do Mutirama

O espaço é composto por quadras de vôlei, peteca, basquete, golzinho, espaço para convivência e sete casas cenográficas inspiradas na cidade de Goiás e em Pirenópolis.

Barracas montadas irregularmente no espaço externo – Foto: reprodução

De acordo com a professora, a questão já foi levada até a Prefeitura, mas não houve respostas. “Fica um jogo de empurra-empurra”, disse a docente que dá aulas todos os dias no local e não abre mão do espaço.

Destaca-se, ele pintou as quadras juntamente com os alunos para dar aulas as mais variadas faixas etárias.

Professora cobra respostas sobre espaço externo do Mutirama

Para Wagnér, o problema poderia resolvido com diálogo. “As coisas são simples, mas o poder público complica.”

Por meio de nota, a Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul) disse que, em relação aos ambulantes, “a fiscalização é de competência da Secretaria Municipal de Planejamento. Portanto, cabe a Seplanh fiscalizar o uso do espaço por vendedores ambulantes”.

Além disso, afirmou que o espaço funciona de quinta a domingo exclusivamente para a bilheteria do Parque Mutirama, no horário de funcionamento do parque. Nos demais dias, o local é usado como espaço de lazer e convivência para a população e os esportistas.

Procurada, a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) informou que irá direcionar uma equipe de auditores ao local para notificar os responsáveis acerca da irregularidade da ocupação da área e “que juntamente com os demais órgãos envolvidos na questão (Sedec, Agetul e Esportes) encontrar uma solução para a questão”.