Estrangeiro preso por vender semente de maconha, não pode sair de Anápolis, afirma a polícia

De acordo com a polícia, o suspeito planejava fugir do país

Produtos apreendidos pela Policia Civil
O suspeito agia na internet como um verdadeiro “empresário do crime” (Foto: Divulgação - Policia Civil)

Após ser preso em flagrante por comercializar sementes de maconha em todo o país, o espanhol de 49 anos conseguiu liberdade provisória após ficar 21 horas detido. Segundo a juíza responsável, Vívian Martins, o suspeito não pode sair de Anápolis.

De acordo com a juíza, a liberdade provisória foi concedida, pois o suspeito é réu primário, possui bons antecedentes, trabalho e residência fixa no Município.

O estrangeiro que foi preso na última sexta-feira (20) pela Polícia Civil, ficou detido apenas 21 horas e logo foi liberado. Além de estar proibido de sair da cidade, o suspeito também não pode frequentar bares, boates e casas noturnas.

Entenda o caso

Após investigações do Grupo de Repressão a Narcóticos (Genarc), a Polícia Civil prendeu em flagrante na última sexta-feira (20), o suspeito com mais de mil sementes de maconha, equivalente a R$ 2 milhões em mercadorias

Segundo os policiais, provavelmente as vendas eram realizadas pela internet. Além do produto para a venda, após uma vistoria em uma kitnet supostamente utilizada como estoque pelo espanhol, também encontraram diversos objetos utilizados para revenda, divulgação e distribuição das drogas.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Jorge Bezerra, o suspeito agia na internet como um verdadeiro “empresário do crime”. Afirmou também que a ação foi intensificada após a polícia receber informações de que o suspeito planejava voltar para o país de origem.