Agência O Globo

Estudantes invadem mansão de US$ 8 milhões e fazem festa com drogas e álcool nos EUA

Jovens são procurados pela polícia de Walton, na Flórida; agentes disseram que a casa foi danificada e objetos foram roubadas

Estudantes invadem mansão de US$ 8 milhões e fazem festa com drogas e álcool nos EUA
Estudantes invadem mansão de US$ 8 milhões e fazem festa com drogas e álcool nos EUA (Foto: Reprodução - Redes sociais)

Um grupo com cerca de 200 jovens estudantes invadiu uma mansão avaliada em US$ 8 milhões (equivalente a R$ 41,7 milhões) na cidade de Walton, nos Estados Unidos, e deu uma festa regada a álcool e drogas. Após o evento, que teve imagens compartilhadas nas redes sociais, os jovens são procurados pela polícia da Flórida.

Os vídeos compartilhados em aplicativos como Twitter, Facebook, Instagram e Snapchat mostram dezenas de jovens dentro da residência. As imagens mostram os participantes dançando, cantando, bebendo, usando drogas e até mesmo lutando boxe dentro de uma ampla sala no térreo.

Os policiais chegaram ao local após uma denúncia a respeito de barulho na casa. Mas quando os agentes chegaram, a maioria das pessoas já havia saído do local.

A investigação do caso tem utilizado as imagens compartilhadas nas redes sociais para chegar aos invasores. O xerife do condado de Walton recebeu críticas, por esse motivo, pois os rostos das pessoas não foram borrados e alguns envolvidos podem ser menores de idade. Mas as autoridades locais alegaram que precisam identificar os participantes da invasão.

“Claramente seu filho fez algo errado, e ainda assim você está aqui como pai tentando dar desculpas para ele em vez de fazer o que é apropriado e aceitar a responsabilidade”, disse o xerife Michael A. Adkinson Jr, em entrevista à imprensa americana.

Adkinson explicou que os adolescentes anunciaram a festa com uma semana de antecedência, em grupos nas redes sociais. O xerife também disse que as idades dos adolescentes supostamente envolvidos variam de 16 a 19 anos.

“Houve vários pais que ligaram e disseram: ‘Olha, meu filho está lá, eles vão prestar contas.’ Mas tem sido um pouco chocante o número de pessoas que disseram: ‘Não, como você ousa mostrar o meu filho?'”, acrescentou o xerife.