Ex-prefeito de Itaguaru se torna réu em processo que apura esquema de desvio de dinheiro público

O esquema criminoso envolve mais 26 pessoas e teria ocorrido entre 2017 e 2020

Ex-prefeito de Itaguaru se torna réu em processo que apura esquema de desvio de dinheiro público
Ex-prefeito de Itaguaru se torna réu em processo que apura esquema de desvio de dinheiro público - (Foto: reprodução/internet)

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) ofereceu denúncia contra o ex-prefeito de Itaguaru, Eurípedes Potenciano da Silva (PSDB), e mais 26 pessoas suspeitas de participarem de um esquema de desvios de recursos públicos na Prefeitura da cidade, distante 130 km de Goiânia. O esquema criminoso, que teria ocorrido no final da gestão passada pode ter beneficiado financeiramente empresas e pessoas que não possuem ligação com o município.

A decisão foi dada pelo promotor de Justiça subscritor, Everaldo Sebastião de Sousa em exercício na 99ª Promotoria de Justiça da Comarca de Goiânia.

Além de Eurípedes Potenciano da Silva, foram denunciados: a ex-primeira dama, Dárcia Fernandes de Lima Potenciano; o ex-secretário de Finanças, Valdir Pimenta Neves; o ex-secretário de Administração, Vilmar Moreira Brandão; os ex-servidores comissionados, Rafael Alexandre Bueno Cordeiro e Kennedy Flank Ventura; Everaldo Alexandre Pereira; Sebastião Crispim dos Reis; Paulo Prado Costa; Fernando Batista de Oliveira; Edson Machado Rodrigues; Cicília de Aquino Soares; ex-contador do município, Carlos Rogério Ferreira Martins; Aldo Dias da Silva; Carlos Pereria Oliveira; Denício Martins Aguiar de Freitas; Paulo Wesley Siqueira; Manoel Antônio Neto; Marcelo Augusto de Carvalho; Déborah Ferreira Queiroz; Leandro Rodrigues Peixoto; Wesley Silva Arantes; Jordana Ribeiro de Brito; Breno Henrique Rocha; Sílvio de Oliveira; Mauro Hélio Martins de Oliveira e Edilson Matias Gomes.

Segundo o MP, a organização criminosa era estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, destinada à obtenção de vantagem pecuniária mediante a prática de infrações, cujas penas máximas são superiores a quatro anos.

Réus são investigados por crimes em Itaguaru

São investigados os crimes de peculato, falsidade ideológica, crimes contra a licitude das licitações, lavagem de dinheiro e outras infrações penais praticados durante a gestão do prefeito Eurípedes Potenciano da Silva entre 2017 e 2020. As investigações apontam a empresa Eletroled, atualmente denominada Matias Instalações Elétrica Eireli, por seus representantes, arquitetou diversas ilegalidades em contratos realizados com o Poder Público.

Ainda conforme a investigação, há suspeita de fraude em licitação que desencadeou na contratação da empresa Eltroled, mediante processo licitatório requerido pelo então Secretário Municipal de Administração de Itaguaru, o denunciado Vilmar Moreira Brandão, também designado como responsável pelo acompanhamento, fiscalização, e execução do contrato.

A denúncia apresentada pelo MP explica, que para facilitar a execução das práticas criminosas, o na época prefeito nomeou a esposa Darcia Fernandes de Lima para gerir a Secretaria de Saúde, além do tio Valdir Pimenta Neves para a Secretaria de Finanças, bem como o primo Marcus Flávio Neves como Procurador do Município. Eurípedes é sócio majoritário do Auto Posto Itaguaru Ltda., cuja conta bancária foi utilizada para a lavagem do proveito ilícito, mediante o recebimento de inúmeros depósitos e ainda foi beneficiário de verbas desviadas acobertadas por cheques fraudados.

A partir da denúncia, os suspeitos serão intimados a comparecer em interrogatório a ser marcado pelo Juiz. O Mais Goiás tenta contato com os envolvidos, mas ainda não obteve sucesso. Espaço segue aberto para manifestações.