Explosivo de guerra, morteiro é encontrado enterrado em fazenda de Ceres

Bomba foi apreendida enquanto era deslocada na garupa de uma moto,. Artefato estava desabilitado e não oferecia riscos

Explosivo é encontrado enterrado em fazenda na zona rural de Ceres (Foto: Divulgação/PM)

Um homem de 65 anos encontrou um explosivo de guerra em uma fazenda situada no município de Ceres, a 180 quilômetros de Goiânia. De acordo com a Polícia Militar (PM), trata-se de um morteiroartefato militar que é arremessado por um lançador de curto alcance -, o qual teria sido encontrado enterrado na propriedade rural.

Policiais interceptaram o idoso no Bairro Jardim Sorriso, por volta das 12h da sexta-feira (14). O homem transportava o explosivo na garupa de uma motocicleta. A bomba foi apreendida e encaminhada ao pátio da própria PM em Ceres, onde militares especialistas neste tipo de ocorrência isolaram o objeto e fizeram uma perícia inicial.

Artefato estava desabilitado e não oferecia risco, segundo a Polícia Militar (Foto: Divulgação/PM)

Ao Mais Goiás, o coronel Celso Gonçalves Borges, explicou que o explosivo estava desabilitado e não oferecia risco. “Está havendo um exagero muito grande a respeito disso. O objeto foi avaliado preliminarmente e estava inerte, provavelmente enterrado há décadas e não oferecia mais riscos”, detalhou.

O coronel explicou também que não se sabe ainda de qual o época o morteiro pertence, já que haviam especulações do artefato pertencer à Segunda Guerra Mundial. Após descartarem a possibilidade de explosão súbita, o morteiro foi encaminhado para a Delegacia de Ceres.

Os policiais apreenderam o que na realidade se tratava de um morteiro e o encaminharam para um pátio da polícia (Foto: Divulgação/PM)

Boatos

A notícia de que o morteiro tinha sido encontrado na região resultou na divulgação de vários boatos em aplicativos de mensagens. Alguns moradores chegaram a dizer que o explosivo teria o poder de fogo de destruir as cidades de Ceres e Rialma juntas. Porém, o artefato estava desativado e a potência não foi confirmada pelas corporações policiais.